Futebol/Seleção Brasileira - ( )

Mano alega que Seleção trouxe ‘raiva gostosa’ para golear no Recife

Recife (PE)

A goleada por 8 a 0 sobre a China, no estádio do Arruda, trouxe apenas aplausos para a Seleção Brasileira, na última segunda-feira. Porém, as vaias e xingamentos ouvidos em São Paulo continuaram sendo o principal tema abordado por Mano Menezes no Recife. O treinador lembrou do tratamento diferenciado que sua equipe recebeu no Nordeste e atribuiu o elástico resultado ao modo como os jogadores foram incentivados pela torcida.

“O carinho do torcedor deixou o jogador mais confiante e a retribuição foi acima da expectativa. Jogamos bem e merecemos fazer o gol cedo. Penso que poderíamos ter feito um placar mais dilatado no primeiro tempo e a cobrança foi justamente em cima disso. Vamos fazer a leitura correta do resultado e do nosso desempenho, pois toda esta facilidade foi mérito da Seleção”, destacou o comandante.

Mano Menezes ainda destacou a raiva sentida por seus jogadores depois dos protestos enfrentados na vitória por 1 a 0 sobre a África do Sul, na última sexta-feira, no Morumbi. Para o treinador, os cantos ofensivos direcionados principalmente ao seu trabalho e a Neymar foram suficientes para que a equipe ficasse ainda mais unida e pudesse embalar de vez no amistoso disputado contra a China.

“A Seleção trouxe uma raiva gostosa para este jogo e é isto que precisamos ter para nos tornar uma equipe vencedora. Precisamos deste sentimento para transformar isso em energia. Nada de transformar esse sentimento em algo negativo. Tem que ter essa motivação para o grupo dar a resposta dentro de campo, com pouca fala e com bastante futebol”, completou.

AFP
Mano Menezes crê que as vaias recebidas em São Paulo deixaram a Seleção com uma "raiva gostosa" no Recife
Ao concluir o seu discurso em prol do apoio recebido nas arquibancadas do estádio do Arruda, Mano Menezes provocou os críticos de sua Seleção e deu a entender que o resultado na partida contra a África do Sul poderia ser mais elástico se a reação no Morumbi fosse diferente. Na ocasião, a torcida passou a vaiar a equipe já no primeiro tempo e perseguiu alguns jogadores até o apito final do árbitro.

“Mesmo com o jogo definido no início, a Seleção não se contentou com isso e queria mostrar isso com essa capacidade. Sofreu críticas justas nos últimos dias e a gente sabe que tem condição de fazer melhor. Hoje colocamos aquilo que falávamos em prática e conseguimos trabalhar bem graças ao tratamento que recebemos aqui”, finalizou o técnico.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade