Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Náutico e Lusa empatam nos Aflitos e não garantem tranquilidade

Recife (PE)

Náutico e Portuguesa fizeram jogo morno neste domingo, nos Aflitos, e não passaram de um empate por 0 a 0. O resultado ainda não garante a tranquilidade que as equipes buscam neste Campeonato Brasileiro: restando seis jogos para o final da competição, a dupla tenta manter-se longe da zona de rebaixamento nesta fase de decisiva.

Apesar da força do Náutico atuando em sua casa, foram da Portuguesa as melhores chances no confronto desta tarde: Boquita, no primeiro tempo, viu Rhayner tirar seu chute em cima da linha de gol. No segundo, Moisés tomou a bola de Alemão e partiu livre dentro da área. O armador, porém, pegou mal na bola e mandou pela linha de fundo.

Com 41 pontos, o Náutico está na 12ª colocação e tem nove pontos de folga para a zona da degola. A Lusa, por sua vez, conquistou 39 pontos neste Brasileirão e, na 14ª colocação, também precisa ficar atenta com o risco de rebaixamento: os rubro-verdes têm sete mais que o Palmeiras, primeiro time dentro do grupo dos quatro piores.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Náutico vai até Santos para enfrentar o Peixe, na Vila Belmiro, nesta quinta-feira. Já a Portuguesa continua fora de casa para enfrentar o ameaçado Figueirense, sábado, no Orlando Scarpelli.

O JOGO - Forte em casa, o Náutico começou a partida rodando a bola no campo de ataque para buscar espaços na defesa da Portuguesa que, bem postada, não dava chances. Mais cauteloso, o time de Geninho tentava esboçar perigo em contra-ataques, mas nem Felipe, nem Dida foram realmente incomodados.

A grande oportunidade do primeiro tempo foi criada apenas aos 24 minutos de partida: Marcelo Cordeiro empurrou para Boquita. O ex-corintiano limpou a marcação, se posicionou bem dentro da área e bateu firme, no canto direito. O atacante Rhayner voltou para ajudar a defesa alvirrubra e tirou a bola em cima da linha, já que Felipe estava batido no lance.

Este, porém, foi apenas um lampejo, pois mais uma vez o ritmo da partida caiu. Pelos lados do campo, Ananias tentava criar espaços, já que o apagado Moisés pouco criava. No Náutico, Kieza chegou a finalizar uma bola com um pouco mais de espaço, porém Dida fez a firme defesa no meio do gol.

As jogadas de bola parada com Souza e Martinez, pelo lado dos donos da casa, também não surtiram efeito na primeira etapa. Aos 41, o camisa 8 colocou a bola com perigo dentro da área, mas sem o desvio de Araújo ou Kieza, mais uma vez o goleiro da Portuguesa fez defesa segura no centro do gol, antes dos dois times irem para o vestiário com o empate sem gols.

No segundo tempo, o Náutico voltou pressionando a Portuguesa e Kieza arriscou primeiro chute perigoso. Depois, João Paulo cruzou mal e a bola entraria no canto direito de Dida, que se esticou para evitar o primeiro dos pernambucanos. Aos 20 minutos, porém, foi o time paulista que perdeu grande chance.

O lançamento ruim estava dominado pelo zagueiro Alemão, que vacilou e perdeu a bola para Moisés. O camisa 10 invadiu a área pela direita e bateu cruzado. O tiro saiu ruim, à direita do gol de Felipe. Nos últimos 15 minutos, o ritmo da partida subiu e as duas equipes buscaram com maior intensidade o gol.

Diego Viana, duas vezes, perdeu dois bons lances para a Portuguesa. Souza, de longa distância, também assustou Dida. Já aos 42 minutos, em rápida cobrança de falta, Martinez chegou a marcar para o Náutico, mas o árbitro Elmo Alves Resende Cunha anulou o lance, já que não havia apitado. Ainda em cobranças de falta, o Timbu tentou uma última oportunidade, mas a Lusa segurou o empate nos Aflitos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade