Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Tite impõe meta ao time: parar de tomar gols em faltas e escanteios

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

A primeira ordem do técnico Tite nesta reta final de preparação para o Mundial de Clubes é referente à defesa do Corinthians. Elogiado durante a Copa Libertadores por conta da solidez atrás, o Timão deixou o treinador preocupado nas quatro partidas passadas do Campeonato Brasileiro.

“Temos de parar de tomar gols em jogadas de bolas paradas já contra o Vasco. Alguns atletas estão se recuperando fisicamente, enquanto outros precisam de ritmo. Perdemos um pouco a coordenação de movimentos. Dos últimos seis gols que sofremos, quatro foram em bolas paradas”, afirmou.

A sequência que incomoda Tite começou na vitória por 3 a 2 sobre o Flamengo. O Rubro-negro abriu o placar naquela partida quando Renato Santos escorou cobrança de falta para estufar as redes. Já o segundo dos cariocas saiu em escanteio, que foi aproveitado por Liedson.

Na rodada seguinte, Marcelo Cordeiro bateu falta para assegurar o empate por 1 a 1 da Portuguesa. Já contra o Cruzeiro, o Corinthians perdeu por 2 a 0, mas a defesa foi vazada de forma diferente, em jogadas trabalhadas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Tite está preocupado com os gols sofridos pelo Corinthians neste Campeonato Brasileiro
Posteriormente, no empate contra o Bahia, Fahel balançou as redes ao aproveitar batida de falta para a área. Diante dos problemas apresentados, Tite exige uma postura diferente de sua equipe no retorno do sistema defensivo titular, com os laterais Alessandro e Fábio Santos e os zagueiros Chicão e Paulo André.

“Vou estar bem atento ao desempenho técnico individual. Quero que minha equipe seja forte defensivamente e ofensivamente, que seja equilibrada. Não posso finalizar 18 vezes e dar dez chances ao adversário. Prefiro finalizar 12 e dar quatro. Não posso tomar quatro gols de bola parada”, reiterou.

Depois das folgas que concedeu nas rodadas anteriores, Tite volta a escalar o que tem de melhor neste sábado, contra o Vasco. A ideia do treinador é achar a escalação ideal nesta reta final do Brasileirão, para chegar embalado ao Mundial, em dezembro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade