Futebol/Brasileirão - ( - Atualizado )

Após dois meses, Henrique comemora retorno: “Ficar fora não é fácil”

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Recuperado de uma lesão no púbis, que lhe afastou dos gramados durante dois meses, o volante Henrique está próximo de voltar a jogar pelo Santos. Liberado pelo departamento médico do clube praiano, o atleta tem trabalhado normalmente nesta semana, participando até mesmo dos dois treinos táticos comandados pelo técnico Muricy Ramalho, visando o duelo com o Internacional, sábado, a partir das 16h20 (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

Feliz com a proximidade do retorno, Henrique espera ter condições físicas de suportar a partida toda, dentro de campo. “Venho trabalhando há duas semanas, me condicionando fisicamente, mas ritmo de jogo a gente só adquire atuando. Me preparei para jogar os 90 minutos, só que na prática é diferente. Vou tentar aguentar, me esforçar para jogar o tempo todo. Vou no limite para não prejudicar os meus companheiros”, afirmou.

Sem atuar desde a derrota para o Náutico, dia 5 de agosto, nos Aflitos, o volante agradeceu a comissão técnica pelo tratamento realizado para a sua volta. Porém, Henrique lembrou que, devido a gravidade da contusão, será obrigado a fazer um trabalho de reforço muscular durante o restante de sua carreira.

“É uma lesão muito complicada, numa região que envolve toda a musculatura. Os médicos falam que varia entre dois, três e até seis meses para você se recuperar totalmente. O pessoal da fisioterapia me deu todo o suporte, fizeram uma preparação muito boa comigo. O trabalho de fortalecimento foi muito importante para não haver um desequilíbrio muscular e eu não voltar a sentir dores futuramente. Estou me cuidando e, a partir de agora, o fortalecimento vai fazer parte da minha rotina. Todos os dias em que eu chegar para treinar, vou ter que fazer isso”, comentou.

Com a sua volta praticamente assegurada para o compromisso diante do Inter, o volante espera também apresentar um futebol que garanta a Muricy segurança para escalá-lo como titular, mesmo quando Adriano ficar à disposição novamente, após cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo, nesta rodada.

“O Muricy prima muito pelo trabalho, não adianta você ter nome. Se o jogador não se dedicar, se esforçar, ele só vai colocar quem está melhor no momento. Claro que não saí porque eu queria, pois tive uma contusão séria e todos estamos sujeitos a isso. Ficar fora não é fácil e, por isso, estou pronto para dar a volta por cima. Espero ajudar da melhor forma possível e agradar ao professor”, encerrou.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade