Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Após Luis Fabiano, batedor de pênalti pode variar de jogo para jogo

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Os dois pênaltis seguidos que Luis Fabiano desperdiçou, contra Atlético-GO e Flamengo, forçaram a comissão técnica do São Paulo a tomar frente e decidir quem será o batedor a partir de agora. A ideia é que, a cada jogo, os atletas subam ao gramado ciente de qual será o responsável por essa função caso haja oportunidade ao longo dos 90 minutos.

No duelo passado, contra a LDU de Loja, pelas oitavas de final da Copa Sul-americana, o jogador definido era Rogério Ceni. Também será o goleiro o encarregado caso o árbitro marque pênalti para a equipe tricolor no duelo deste sábado, diante do Sport, no Recife, válido pelo Campeonato Brasileiro.

Pelo histórico e bom aproveitamento nos treinos semanais, o camisa 1 só deve ser substituído caso tenha algum problema ou entre em má fase neste fundamento, como é o caso de Luis Fabiano, no entendimento do técnico Ney Franco.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Lucas pode ser um dos cobradores alternativos
"Não queria fazer uma definição oficial, prefiro definir jogo a jogo. Tomara que não aconteça com o Rogério o mesmo que aconteceu com o Luis Fabiano. Por isso, prefiro ser flexível em relação a isso. Mas uma coisa é certa: os jogadores vão saber, em toda partida, quem é o batedor número um e quem é o batedor número dois", explica.

Na terça-feira, véspera da partida contra a equipe equatoriana, que poderia definir a vaga às quartas de final da Sul-americana nos pênaltis em caso de empate por 1 a 1, todo o elenco treinou cobranças. O trabalho se repetiu nesta sexta, antes da partida contra o Sport. Luis Fabiano, que prometeu dar um tempo dos pênaltis, foi um dos poucos a não ensaiar.

"A gente sabe que há alguns jogadores que têm aproveitamento muito bom nos treinamentos e que esse aproveitamento cai na hora do jogo pelo lado emocional", comentou Ney Franco, prometendo intensificar os treinamentos, até porque, como o São Paulo segue vivo no mata-mata continental, pênaltis poderão ser fundamentais.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade