Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Dirigentes admitem dificuldade por naming rights da Arena da Baixada

Bruno Oliveira, especial para a GE.NET São Paulo (SP)

Um dos palcos da Copa do Mundo de 2014, o Estádio Joaquim Américo Guimarães, mais conhecido como Arena da Baixada, ainda não tem nome definido para o futuro. Em busca de parceiros interessados em adquirir o naming rights do estádio localizado em Curitiba, o presidente do Atlético-PR, Mario Celso Petraglia, admitiu que esta pode ser uma negociação difícil.

Em 2005, o clube paranaense inovou ao fazer sociedade com a empresa japonesa Kyocera Corporation, que opera no mercado de aparelhos eletrônicos. A parceria rendeu ao estádio curitibano o nome de Kyocera Arena, que perdurou até 1º de abril de 2008. Desde então, o naming rights do complexo não foi comprado por outra companhia.

“Fomos pioneiros neste tipo de venda. No Brasil não há tradição deste modelo de negociação. Lamentavelmente, nosso país não tem tradição no marketing alternativo, mas estas novas arenas constroem um novo tipo de mercado, uma nova visão. Haverá uma abertura muito favorável para que exista este novo mercado, que é a venda de naming rights”, disse durante evento em São Paulo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Vice-presidente da AEG, Chuck Steedman garantiu empenho na busca por parceiros para Arena da Baixada

Para ajudar na captação de parceiros interessados em renomear a Arena da Baixada, o Atlético-PR terá como aliada a empresa norte-americana AEG Facilities, que gere mais de 100 arenas ao redor do mundo. O vice-presidente da companhia, Chuck Steedman, afirmou que se empenhará para conseguir sociedade para a compra do naming rights, mas destacou que será uma tarefa complicada.

“Não existe nenhuma venda fácil de direitos de nome. Temos toda segurança de que podemos trazer um parceiro para este complexo, o mercado do Brasil está se desenvolvendo agora. Nada é fácil, mas conseguiremos”, completou.

As obras na Arena da Baixada estão 52% concluídas e tem previsão de conclusão para dezembro de 2013. Capaz de receber 43.981 espectadores, o estádio será palco de quatro partidas da Copa do Mundo de 2014. “Posso prometer que esta arena será tudo, menos um elefante branco”, encerrou Steedman.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade