Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Dirigentes lamentam morte de Nelson Prudêncio e destacam legado

Bianca Mascara, especial para o GE.Net São Paulo (SP)

O esporte brasileiro perdeu, na madrugada desta quinta para sexta feira, um de seus grandes representantes do atletismo: Nelson Prudêncio. Duas vezes medalhista olímpico no salto triplo, ele faleceu aos 68 anos, na Casa de Saúde de São Carlos, interior de São Paulo, onde estava internado em coma irreversível desde terça feira.

A morte foi lamentada por pelo presidente da Confederação de Atletismo (CBAt) na próxima gestão, Toninho Fernandes. “É difícil até falar sobre isso, porque ele teve uma importância muito grande no salto triplo e no atletismo de maneira geral”, afirmou o dirigente em entrevista à GE.net.

Nelson Prudêncio foi prata nos Jogos Olímpicos da Cidade México, em 1968, quando participou de uma emocionante disputa, que contou com a quebra de nove recordes mundiais, impulsionados pelo ar rarefeito. Ele foi um dos recordistas, porém foi superado pelo russo Viktor Saneyev, ficando com a segunda posição. O ex-triplista subiu no pódio novamente na Olimpíada seguinte, com a conquista da medalha de bronze em Munique, na Alemanha.

“No salto triplo ele fez parte da história junto com o Adhemar (Ferreira) e o João do Pulo. Foi recordista mundial e medalhista olímpico”, destacou Fernandes em referência aos únicos atletas que subiram ao pódio pelo salto triplo em Olimpíadas, junto a Prudêncio.

O ex-atleta também realizou um grande trabalho fora das pistas. “Ele teve uma importância muito grande como dirigente esportivo, foi vice-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, e um estudioso do salto triplo”, lembrou Toninho Fernandes.

Gazeta Press
Dono de uma medalha de prata e uma de bronze em Olimpíadas, Nelson Prudêncio também deixou sua contribuição no campo acadêmico

Após deixar o esporte, Prudêncio se dedicou a vida acadêmica e em 2006 publicou sua tese de doutorado. O tema não poderia ser outro: o salto triplo. “No mundo acadêmico, ele fez doutorado e pode aumentar sua contribuição para o esporte. Fica um legado tanto como atleta, tanto como dirigente e esportista brasileiro, para todos aqueles que gostam do esporte”, contou o dirigente.

“A tese de doutorado do Nelson Prudêncio foi um estudo completo do salto triplo, então ele também deixa um legado muito grande na área, que ajuda outros estudiosos e professores”, acrescentou Fernandes. O ex-triplista lecionava educação física na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O falecimento também foi muito lamentado pelo presidente em exercício da CBAt, Roberto Gesta de Melo. “O Brasil ficou menor. Em um país com poucos expoentes nas mais diferentes áreas de atividade, acabamos de perder uma das raras referências históricas de nosso desporto”, declarou em nota oficial.

Roberto Gesta também lembrou o estilo ponderado de Nelson Prudêncio expressar seus pensamentos. “Educador nato, em todos os sentidos, homem de conciliação, jamais utilizava uma palavra áspera para se referir a pessoas ou fatos. Com sua fala cadenciada e pensamentos sempre elaborados com precisão, às vezes usando de fina ironia, transmitia com naturalidade seus conhecimentos e suas ideias”.

A Confederação Brasileira de Atletismo decretou luto oficial por sete dias. Após o velório na capela do Cemitério Nossa Senhora do Carmo, em São Carlos, Nelson Prudêncio será sepultado no mesmo local, às 16h30.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade