Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

A caminho do Red Bull, Fernandes mostra mágoa com saída do Figueira

Florianópolis (SC)

A terça-feira do Figueirense foi marcada pela despedida de dois dos principais jogadores do clube nos últimos anos: o meia Fernandes e o goleiro Wilson. Na emocionante coletiva, os jogadores se mostraram chateados com a saída e o meio-campista inclusive disse que já vem sendo deixado de lado há algum tempo.

"Já venho sendo cozinhado no clube há dois anos, perdendo espaço. Diziam que eu estava muito velho. Tive muitas lesões no final da minha passagem, mas isso acontece em muitos clubes”, desabafou Fernandes.

Esta não é a primeira saída do camisa 10, que soma quatro passagens pelo Figueirense. Aos 34 anos, o maior artilheiro da história do clube com 107 gols ainda deseja retornar e acrescentar às mais de 400 partidas pelo Figueira.

“Não vejo este dia como uma despedida, eu quero voltar. Uma ou duas pessoas não vão tirar minha alegria. Infelizmente nosso clube está priorizando o dinheiro e deixando a paixão de lado”, afirmou o jogador, que reforça o Red Bull na próxima temporada.

Wilson não desafia a marca 12 anos de Fernandes no Figueirense, mas mesmo assim foi um dos símbolos no clube nos últimos tempos. Titular no gol desde que chegou à Florianópolis, em 2007, o arqueiro de 28 anos disse entre lágrimas que gostaria de continuar na equipe.

“Meu ciclo no Figueirense está terminando. Sei que as pessoas passam, mas acredito que eu poderia ajudar mais o Figueirense. Todos sabem o carinho que criei pelo clube e quero agradecer a todos pelo reconhecimento”, declarou o goleiro, que marcou três gols em mais de 300 jogos pela equipe, sendo dois de pênalti e um de falta.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade