Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Adriano é denunciado por tiro dentro de carro e pode ser preso

Rio de Janeiro (RJ)

O atacante Adriano, que deixou o Flamengo no começo de novembro, foi denunciado nesta quarta-feira no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) por lesão corporal referente ao episódio em que disparou, em seu próprio carro, um tiro que feriu o dedo de Adriene Cyrillo Pinto.

Além do atleta, o ex-PM Júlio César de Oliveira também irá responder pelo acidente, ocorrido em dezembro de 2011. Júlio César, segurança do jogador, estava no veículo e era o dono da arma.

Feita por Márcio Almeida Ribeiro da Silva, juiz titular da Promotoria de Justiça do 9º Jecrim (Juízado Especial Criminal), a denúncia será julgada no dia 13 de dezembro. Caso sejam condenados, Adriano e Júlio César poderão pegar de dois meses a um ano de prisão.

O episódio ocorreu quando o ex-jogador da Seleção Brasileira retornava de uma boate com o segurança e quatro mulheres no carro. Adriano exibia a arma de Júlio César quando, inesperadamente, disparou no dedo indicador da mão esquerda de Adriene, que precisou realizar duas cirurgias.

“Inerte diante das ‘brincadeiras’ feitas pelo denunciado Adriano com a arma de fogo, o primeiro denunciado Julio, permaneceu negligenciando o risco de lesão que tal comportamento poderia causar”, explica o texto da denúncia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade