Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Blatter admite pressão para Brasil anunciar logo substituto de Mano

Helder Júnior São Paulo (SP)

A Fifa não queria promover o sorteio da Copa das Confederações, sábado, em São Paulo, sem que o novo técnico da Seleção Brasileira estivesse definido. O suíço Joseph Blatter, presidente da entidade, confirmou a sua alegria com a rápida escolha de Luiz Felipe Scolari como sucessor de Mano Menezes na Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Não havia um técnico em atividade no Brasil sem Mano Menezes, e todas as seleções devem imediatamente nomear outro técnico nesse caso. Não pode existir um time nacional sem um treinador. Foi absolutamente necessário que o Brasil fizesse essa nomeação imediatamente”, avisou Blatter, nesta quinta-feira.

Enquanto o presidente apontava o argentino Lionel Messi, o português Cristiano Ronaldo e o espanhol Andrés Iniesta como finalistas do prêmio de melhor jogador do mundo, em São Paulo, a CBF apresentava Felipão como o seu novo treinador, no Rio de Janeiro. A ideia inicial do presidente José Maria Marin era só fazer o anúncio em janeiro de 2013.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Blatter não queria ver a Seleção Brasileira sem técnico no sorteio da Copa das Confederações
Com a realização do sorteio da Copa das Confederações, a Fifa fez pressão para que o Brasil antecipasse o proecesso de sucessão de Mano Menezes. Na quarta-feira, o francês Jérôme Valcke, secretário geral da entidade, havia negado interferência na escolha do novo comandante da Seleção Brasileira.

“O Brasil está se preparando não só para uma Copa do Mundo, mas também para a Copa das Confederações. Teremos o sorteio dos grupos em dois dias”, lembrou novamente Blatter, sem deixar de se dirigir a Felipão. “Desejo grande sucesso para ele.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade