Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

De olho em reeleição no Fla, Patrícia Amorim dá nota 8 a seu mandato

Rio de Janeiro (RJ)

A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, mostrou ter ficado satisfeita com seu primeiro mandato à frente do clube carioca. De olho à reeleição (candidatura que foi oficialmente lançada na noite desta terça), a ex-nadadora classificou como ‘nota 8’ seus três primeiros anos à frente do Rubro-negro, mas sabe que ainda precisa de mais para ganhar a torcida do clube.

“Em minha gestão, se pudesse dar uma nota, seria 8. Mas sei que no Flamengo é preciso tirar 11, porque dez não é o suficiente para o torcedor. Tenho convicção no trabalho realizado. Conseguimos cumprir quase todos os compromissos, e muitas vezes sofri uma covardia muito grande. Seria interessante este segundo mandato porque o Flamengo ficaria mais três anos tranquilo”, afirmou a dirigente.

Alexandre Loureiro/Vipcomm
Eleita em 2009, Patrícia Amorim quer a reeleição para os próximos três anos
Patrícia Amorim foi eleita em 2009, após a vitória no Brasileirão daquele ano. Entre 2010 e 2012, o Flamengo, já sob seu comando, o time conquistou apenas o Campeonato Carioca de 2011, vencido de forma invicta. Durante seu mandato, a presidente teve como grande trunfo a contratação de Ronaldinho Gaúcho, este após disputa com Palmeiras e Grêmio, e Thiago Neves, no ano passado.

Com a dupla e sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, além do Estadual, o Fla obteve vaga na Copa Libertadores, mas nesta temporada os problemas internos foram desmantelado aquela base. Thiago Neves foi para o rival Fluminense, Luxa, que já não tinha bom relacionamento com o ex-meia do Barcelona, deixou o clube, para depois o então ídolo rubro-negro ir embora da Gávea em litígio, cobrando R$ 40 milhões na Justiça, antes de acertar com o Atlético-MG.

Em agosto deste ano, a aposta foi trazer de volta Adriano, que vinha de uma passagem apagada no Corinthians, mas é tratado como ídolo pela torcida rubro-negra. O jogador, que conquistou o Nacional de 2009 pelo Fla, porém, não conseguiu entrar em forma no período e, em meio a faltas e idas para festas na noite carioca, teve sua saída confirmada na terça em que Patrícia confirmou sua candidatura à reeleição.

Depois da forte oposição que recebeu recentemente, a promessa da dirigente é formar uma equipe mais forte para 2013. No Brasileirão, o Flamengo chegou a sofrer com o risco do rebaixamento, mas a equipe agora tem oito pontos de distância para a zona da degola, restando 12 em disputa. Além de Patrícia, há outras cinco candidaturas para o pleito, que acontece no início de dezembro e elegerá o presidente para o triênio 2013/2015.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade