Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Del Nero se irrita e garante que não sai do COL por investigação

Helder Júnior São Paulo (SP)

Envolvido nas investigações da Operação Durkheim da Polícia Federal, Marco Polo Del Nero garante que não deixará o seu cargo no Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. O dirigente se irritou com o assunto após reunião da entidade com a presença de Jérôme Valcke, secretário geral da Fifa, em São Paulo.

“Uma coisa não tem nada a ver com a outra. É um assunto pessoal. Não vou mais falar sobre isso”, bradou Del Nero, quando foi abordado pela TV Gazeta. Questionado se deveria se afastar da organização para o Mundial para preservar a sua imagem, ele foi curto e grosso: “Não”.

Vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Del Nero prestou esclarecimentos (por vontade própria, conforme afirmou) na Delegacia de Repressão aos Crimes Financeiros (Delefin) na segunda-feira.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Irritado, Marco Polo Del Nero avisou que não pretende mais se pronunciar sobre a investigação da PF
A Operação Durkheim revelou a existência de uma quadrilha formada por policiais federais, civis e militares e funcionários de bancos e empresas telefônicas que negociou dados sigilosos de pelo menos 10.000 pessoas. Em comunicado, Marco Polo Del Nero alegou que contratou uma empresa por meio de um anúncio na internet, com a intenção de obter informações detalhadas sobre o passado de alguém – e teria dispensado o serviço quando teve acesso a um relatório que “adentra a órbita do proibido”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade