Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Diretoria do Paraná faz pressão antes de clássico com o Furacão

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O clássico entre Paraná Clube e Atlético Paranaense, que no final de semana pode definir o acesso do Furacão para a primeira divisão ou a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro, começou com pressão. O Tricolor da Vila deve fazer uma reclamação formal sobre a utilização do Eco Estádio Janguito Malucelli, que anteriormente já havia sido considerado inapropriado para clássicos pela Polícia Militar.

Para o gerente de futebol do Paraná Clube, Alex Brasil, as dimensões acanhadas do Janguitão não comportam o duelo, especialmente se tratando de um jogo decisivo. "É um bom estádio, mas não para este tipo de jogo. Esperávamos um local mais adequado para uma partida desta relevância", afirmou.

Com a capacidade reduzida para 5500 expectadores para esta partida, a cota de ingressos para visitantes diminuiu em quase 50%, o que não deve minimizar um possível encontro entre os torcedores nos arredores no local. "Confiaremos nas decisões do poder público. Esperamos que nossa torcida seja devidamente respeitada, e que possamos realizar um bom trabalho neste jogo, seja no Eco Estádio ou em qualquer outro lugar", disse Brasil.

A pressão também recai sobre a arbitragem, com o gerente de futebol relembrando alguns lances polêmicos do clássico realizado no primeiro turno, com vitória atleticana na Vila Capanema. "A arbitragem teve momentos infelizes, como em um gol do Atlético-PR originado a partir de um toque de mão. (Mas) nosso foco está em trabalhar para superar estas questões. Buscaremos terminar temporada da melhor maneira possível", concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade