Futebol/Bastidores - ( )

Ídolos pedem sequência de Barcos em reformulação de time palmeirense

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Dois dos dez maiores artilheiros da história palmeirense, César Maluco e Evair constataram que profundas mudanças deverão ocorrer no elenco rebaixado à segunda divisão nacional. Um nome, porém, é consenso para os dois ex-jogadores: de Hernán Barcos, goleador da equipe na temporada e um dos poucos que saiu com crédito junto à torcida.

“Ele é um cara importante, já demonstrou que tem personalidade, caráter e com certeza é uma peça que pode ajudar o grupo do Palmeiras no ano que vem”, alegou Evair, que marcou 127 vezes com a camisa do Verdão, em entrevista à GE.net. “O Palmeiras precisa mais do que nunca de um jogador assim, porque vai disputar uma Libertadores”, completou.

Após rebaixamento, veja qual pode ser o futuro do elenco palmeirense
César Maluco ataca Tirone e Evair imagina 'problema grave' no Verdão

Autor de 28 gols em 54 jogos nesta temporada, o atual camisa 9 alviverde chegou sem grande destaque, até por parte da diretoria. Quando o nome do argentino era apenas especulado, o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, despistou ao dizer que o “Palmeiras não era marinha para falar em Barcos”.

“É brincadeira isso, tem que respeitar o profissional. E depois ainda quer ser respeitado. Se você não dá, não tem como pedir respeito”, criticou César Maluco, ex-conselheiro e atual crítico da gestão de Arnaldo Tirone, ao lembrar do fato. “Ele é excelente”, elogiou o atacante alviverde das décadas de 60 e 70 e segundo maior artilheiro da história do clube.

Assim como em 2002, data do primeiro rebaixamento alviverde no Brasileirão, espera-se que uma intensa mudança ocorra no elenco. Naquele ano, o principal jogador do grupo, o goleiro Marcos, recusou uma proposta do Arsenal, da Inglaterra, e ficou até o ano passado, quando encerrou sua carreira, como um dos maiores ídolos da história palmeirense.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Artilheiro do clube no ano, o argentino Barcos é esperado por ídolos do clube para ficar em 2013 na Série B
Barcos, por sua vez, recebeu uma sondagem da Europa e ainda não deixou claro seu futuro. A esperança da torcida é de que ele repita o ato do eterno camisa 12 e prolongue sua passagem pelo Verdão, que rendeu a ele convocações para a seleção argentina. Além dele, Evair vê condições de ter outros nomes mantidos para o ano que vem.

“Querendo ou não, há outros jogadores que têm suas capacidades e já demonstraram isso. Alguns tem personalidade, não é só futebol, tem que ter isso também e essa situação vai fazer com que jogadores como o Barcos e o Wesley possam ser aproveitados”, completou o campeão da Libertadores de 1999.

Com eleições presidenciais marcadas para janeiro, espera-se que o novo mandatário inicie o processo. César Maluco, porém, tentou tirar a responsabilidade dos jogadores. “Eles não têm culpa, não batem na porta do clube pedindo emprego. Eles (diretores) que vão atrás de atletas que nunca foram campeões. Time grande tem que ter jogador campeão”, decretou.

Em meio ao seu futuro indefinido, o Palmeiras volta aos trabalhos na tarde desta terça-feira pela primeira vez após ter seu rebaixamento decretado. Além de tentar ainda manter seu elenco motivado, o técnico Gilson Kleina precisará trabalhar com os desfalques: Román, Márcio Araújo e o próprio Barcos receberam o terceiro amarelo e cumprem suspensão automática, domingo, contra o Atlético-GO.

 
 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade