Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Novo técnico da Seleção ainda não tem nome e só chega em janeiro

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Muricy Ramalho, Tite, Luiz Felipe Scolari e Abel Braga podem ser, nesta ordem, os preferidos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para assumir o comando da Seleção em substituição a Mano Menezes, dispensado nesta sexta-feira após reunião em São Paulo. Andrés Sanchez, diretor de seleções da entidade, preferiu não citar nenhum nome, mas estes profissionais já são especulados internamente.

Diante dos microfones, gravadores e câmeras, o dirigente com voto vencido na reunião com José Maria Marin e Marco Polo Del Nero afirmou apenas que o novo comandante da Seleção chegará no mês de janeiro e pode sim ser alguém empregado atualmente. “O novo treinador será anunciado no começo de janeiro. Vão aparecer seis ou sete nomes e algum deles vai ser”, relatou Andrés.

A saída de Mano Menezes surpreendeu até mesmo o diretor de seleções da CBF, que foi convocado pelo presidente e pelo vice da entidade para uma reunião na sede da Federação Paulista de Futebol nesta sexta-feira. Após a proposta da demissão do treinador que há dois dias foi bicampeão do Superclássico das Américas ser jogada na mesa, Andrés tentou defender o profissional com quem trabalhou no Corinthians, mas foi voto vencido.

“Ser contra é uma coisa, ser ouvido é outra. Você (jornalista) nunca foi contrariado? A CBF é uma empresa, você pode ter argumentos, mas quem decide ouve e decide. O presidente é que manda, não adianta eu falar não e ele falar sim. Sou um simples diretor, respeito a hierarquia. Eu podia muito bem ir embora sem falar nada, mas eu sou diretor de seleções”, disse Andrés, que não encontrou concordância de Marin para comunicar a demissão de Mano à imprensa.

Segundo as previsões da CBF, o anúncio do novo treinador e da nova comissão técnica será feito nos primeiros dias de janeiro de 2013: “Vamos discutir isso mais para frente, porque a Seleção quer novos métodos, outro tipo de planejamento. Vamos continuar trabalhando nesses nomes e o novo treinador vai continuar até a Copa do Mundo, essa é a tendência. Quem diz que a perda da Olimpíada pesou mente, porque a única mudança foi que a presidência, no fim da temporada, achou que um novo planejamento deveria ser feito”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade