Futebol/Copa das Confederações - ( - Atualizado )

Para evitar mais atrasos, obras agora serão monitoradas semanalmente

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O recado da Fifa na manhã desta quinta-feira foi claro: após anunciar as seis sedes que receberão a Copa das Confederações, a entidade avisou que não poderá existir mais atrasos em obras para o torneio. O Comitê Organizador Local (COL), por sua vez, entendeu o recado e avisou que o monitoramento nas reformas feitas no País agora acontecerá semanalmente.

“Nosso time de especialistas técnicos irá intensificar o trabalho de acompanhamento das obras, tanto do escritório do COL, da central de monitoramento com 12 câmeras ao vivo nas seis sedes, quanto in loco. O relatório técnico detalhado, antes mensal, agora será semanal para identificar e resolver qualquer desafio que surgir”, disse o presidente da CBF e do COL, José Maria Marin.

A organização da Copa das Confederações ainda revelou que tem datas definidas para entregas de etapas das obras, como instalação de assentos dos seis estádios. Esta fase é tida como de grande importância, por conta dos ingressos para o torneio, que começarão a ser vendidos no já no dia 21 de novembro.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Em sintonia na organização para a Copa das Confederações, Marin (esq.) e Aldo Rebelo mostraram confiança
“Talvez não tenhamos escolhido o caminho mais fácil, mas é o que trará maior benefício para o Brasil e para a melhor realização da Copa do Mundo, um ano depois”, acrescentou Marin. Em seu discurso, o presidente do COL garantiu que todos os estádios estarão prontos na data estipulada como limite pela Fifa: 15 de abril de 2013.

Para corroborar com a promessa de que cumprirá os prazos, o governo brasileiro, representado pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, fala em não errar no evento que mostrará o País como algo maior do que uma mera potência no futebol. “O maior interessado no êxito desta Copa é Brasil, porque a Fifa já realizou 19 e fará ainda não sei quantas pela frente”, analisou o político.

“Essa é a nossa Copa, a que tem para o Brasil uma suprema importância e para o governo brasileiro. Buscaremos com todo nosso empenho fazer dele um acontecimento exemplar em organização, acolhimento. Que se resuma em um grande evento para o Brasil e para todo o mundo”, completou Aldo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade