Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Resultados de Bahia e Lusa no turno rebaixariam Verdão neste domingo

São Paulo (SP)

Sem depender exclusivamente de suas forças para sair da zona de rebaixamento, o Palmeiras precisa torcer contra Portuguesa e Bahia para não voltar à Série B neste final de semana. Porém, caso se repitam os resultados do primeiro turno nesta rodada, a equipe comandada pelo técnico Gilson Kleina terá a ida para a segunda divisão confirmada no domingo, mesmo que, assim como há 19 rodadas, vença o time de Dorival Júnior: 1 a 0, em jogo realizado na Arena Barueri.

No primeiro turno, Portuguesa e Bahia (as duas equipes que estão logo acima dos quatro piores na competição) venceram seus jogos. O Tricolor de Aço foi até Campinas para bater a Ponte Preta, por 2 a 0, no dia 15 de agosto, e agora recebe a Macaca, em Pituaçu. O jogo acontece no domingo, às 17 horas (de Brasília), no mesmo dia e horário do confronto entre Verdão e Flamengo, em Volta Redonda (RJ).

A Lusa, por sua vez, entra em campo no Canindé para enfrentar o vice-líder Grêmio, às 19h30 (de Brasília). No Olímpico, a equipe paulista conseguiu sua primeira vitória como visitante ao bater o time de Vanderlei Luxemburgo, por 2 a 1. Novos triunfos da dupla fariam com o que Palmeiras, independente de seu resultado no Rio de Janeiro, não conseguisse mais alcançá-los. Restando apenas mais nove pontos em disputa, a equipe está a sete de sair da zona de rebaixamento e não teria mais condições de fazê-lo, caso a desvantagem seja mantida ao término da 36ª rodada.

O Sport, que está logo à frente do Verdão no grupo dos degolados, pega o Botafogo às 19h30 (de Brasília), na Ilha do Retiro. Ainda que o resultado do primeiro turno se repita – 2 a 0 para o Glorioso –, o futuro do Verdão estaria selado por conta de Bahia e Lusa. A complicada situação do Palmeiras se agravou após o jogo com o Fluminense, em que o time teve a derrota decretada apenas aos 42 minutos do segundo tempo, com o gol de Fred, que deu aos cariocas o título.

“Com aquele jogo, poderíamos terminar mais próximos de Portuguesa e Bahia. Além disso, ganhar do líder era o que tínhamos projetado para a recuperação. Estivemos próximos disso e gerou o abatimento. Tenho dormido pouco, a cabeça não para de pensar. É nossa última chance”, decretou o gerente de futebol do clube, César Sampaio.

Para não “jogar a toalha”, Kleina ainda tem que trabalhar com uma série de desfalques. Dos que enfrentaram o Fluminense, João Denoni, com um problema no ombro, e Wesley, com dores musculares, estão fora, como o suspenso Luan, que recebeu o terceiro cartão amarelo em Presidente Prudente (SP). Patrick Vieira, Henrique e Correa também são dúvidas por contusões e dependem de testes no final desta semana para saber se encurtarão ainda mais a lista de opções do treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade