Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Reunião sem dirigentes é tensa, mas orçamento do Santos é aprovado

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

A reunião do Conselho Deliberativo do Santos, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, foi agitada. Sob a análise dos conselheiros estavam o balanço de 2012 e o planejamento orçamentário para 2013. Sem a presença do presidente, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro – que irá se afastar durante 60 dias, por problemas de saúde, a partir da próxima sexta –, do vice Odílio Rodrigues, e dos membros do comitê gestor, apenas o superintendente administrativo, Henrique Schlithler, esteve presente a sessão.

A reunião foi tensa e durou quase quatro horas, com conselheiros divergindo fortemente sobre os temas levantados. Alguns até mesmo ficaram exaltados, fazendo várias contestações pontuais, e deixando o clima da reunião ainda mais quente.

Porém, ao término da sessão, foi divulgado no parecer final que o Peixe teria apresentado déficit ao final da atual temporada, caso não tivesse negociado o meia Paulo Henrique Ganso, em transferência polêmica para o São Paulo (R$ 23,9 milhões), além de ter recebido luvas (cerca de R$ 36 milhões) da TV Globo, empresa que detém os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

Vale ressaltar, entretanto, que por conta do dinheiro extra, os santistas arrecadaram R$ 178 milhões, ou seja, R$ 38 milhões a mais do que era esperado inicialmente. Com isso, a quantia será destinada a cobrir o pagamento de outras áreas do clube praiano, bem como parte dela já serviu para quitar dívidas pendentes.

Entretanto, o restante arrecadado, valor na ordem de R$ 20 milhões, está disponível e, segundo o superintendente administrativo alvinegro, poderá ser utilizado pela diretoria na contratação de reforços para 2013.

No próximo ano, o Santos deve ter ainda mais problemas na área financeira. Sem disputar a Copa Libertadores da América no primeiro semestre, o Peixe deixará de arrecadar valores importantes para o seu fluxo de caixa. Além disso, com a amortização de algumas dívidas, uma delas envolvendo uma ação na justiça impetrada pelo ex-presidente Marcelo Teixeira – na venda de Ganso, por exemplo, o antigo mandatário teve direito a receber R$ 1,2 milhão, referentes a 5% da transação –, parte do orçamento já está destinada para cumprir esses acordos

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade