Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Lusa encerra jejum vencendo o Inter e praticamente se livra da queda

Porto Alegre (RS)

Diante de um adversário que não se encontrou em campo e ainda enfrentou vaias da torcida no Beira-Rio, a Portuguesa se aproveitou de dois erros defensivos do Inter para consolidar uma vitória por 2 a 0, neste domingo, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, com gols marcados por Luis Ricardo e Marcelo Cordeiro, que encerraram um jejum de oito jogos sem vencer. Apesar da vitória, o time do técnico Geninho precisará de pelo menos um ponto no próximo domingo, data da rodada final da competição, para afastar de vez o risco de rebaixamento.

O resultado positivo conquistado após uma atuação soberana no primeiro jogo do Colorado sem o técnico Fernandão faz a Lusa atingir 44 pontos, seguindo como o primeiro à frente da zona de rebaixamento, com dez vitórias. O Sport, que empatou contra o campeão Fluminense, na Ilha do Retiro, soma 41, tem o mesmo número de vitórias que a Lusa (critério de desempate preponderante) e está na disputa direta contra a última “vaga” na Série B – o Bahia também só depende de um empate e Palmeiras, Atlético-GO e Figueirense já foram rebaixados.

Na próxima rodada, a última do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa luta pela permanência na elite nacional diante da Ponte Preta, que se tornou grande rival nos últimos anos. Na despedida do estádio Olímpico, o Inter espera reagir contra o Grêmio e encerrar a temporada em alta e, de preferência, com novo técnico anunciado. As duas partidas, assim como as outras da rodada final, ocorrem às 17 horas (de Brasília).

Arte GE.Net

O Jogo – Em ritmo lento, Inter e Portuguesa protagonizaram um duelo em que as defesas permaneceram abertas durante os 90 minutos, mas os ataques não conseguiram aproveitar os espaços, principalmente no primeiro tempo, quando o Colorado movimentava a bola no setor ofensivo, mas não oferecia qualquer dificuldade para os zagueiros da Portuguesa, seguros em campo. O sol forte de Porto Alegre parecia atrapalhar as duas equipes, que pouco finalizaram a gol. Tanto que a melhor chance dos primeiros dez minutos foi justamente no primeiro lance, quando Fred levantou na área, mas Leandro Damião não alcançou.

Os lances agudos da Portuguesa nos primeiros minutos de bola rolando também eram discretos. Na bola parada, aos sete minutos, Marcelo Cordeiro bateu falta com força, mas um pouco acima da trave de Muriel, que reclamou nervoso da formação da barreira do Inter. A Portuguesa começou a se soltar com frequentes levantamentos de Moisés procurando Bruno Mineiro e Ananias na área do Inter. A melhor chance deste início ocorreu aos 21 minutos, quando Luis Ricardo trabalhou a bola curta com Ferdinando, que serviu Moisés. O camisa 10 da Portuguesa inverteu para Marcelo Cordeiro, que devolveu no meio da área para Ferdinando bater firme, por cima da meta de Muriel

O jogo só se animou de verdade quando o árbitro Wagner Reway distribuiu seus dois primeiros cartões amarelos na partida, para Ananias, por reclamação, e Ygor, por falta dura cometida em Boquita. Ofensiva e sem tanta preocupação atrás, a Portuguesa teve sua grande oportunidade de abrir o placar no mesmo momento em que Fred, do Fluminense, marcava diante do Sport, no Recife. Após bola levantada na área, Ananias girou para cima da marcação e obrigou Muriel a se esticar para praticar grande defesa. Com a possibilidade de se livrar do rebaixamento naquele momento, a Lusa se animou pela falta de qualidade do futebol do Inter, que em nenhum momento se impôs dentro de casa.

Aproveitando-se das vaias do irritado torcedor do Inter nas arquibancadas, Gustavo desarmou Diego Forlán no campo de defesa da Lusa e acionou Ferdinando, que não demorou a tocar para Luis Ricardo em arrancada veloz. O lateral direito da Portuguesa apenas dominou, cortou o goleiro Muriel e concluiu a gol, inaugurando o marcador do Beira-Rio. Após o baque do primeiro gol, o Inter tentou se reorganizar, mas não ameaçou e esbarrou no apito final do primeiro tempo.

Decepção da etapa inicial, Forlán saiu de campo no intervalo para a entrada de Cassiano, que já teve sua primeira chance de mudar a história do jogo aos dois minutos, quando D'Alessandro girou para cima da marcação de Ferdinando e tocou para o jovem Cassiano, no meio da área. O substituto de Forlán bateu colocado, rente à trave de Dida, que se assustou pelo lance. O Inter seguiu na pressão com seus garotos e principalmente D’Alessandro, que fazia o possível para buscar o gol de empate.

Se os jovens buscavam o jogo por parte do Inter, um veterano acabou determinando o fim das chances da equipe em igualar o confronto no Beira-Rio. Aos sete minutos, o zagueiro Índio escorregou na entrada da área, perdeu a posse de bola para Ananias e acabou cometendo o pênalti. Na cobrança segura de Marcelo Cordeiro, fim de papo a favor da Portuguesa, que se precaveu com uma formação com três zagueiros e segurou a vantagem até o apito final.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade