Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Danielzinho rebaixa o Guarani, mas São Caetano não retorna à elite

Campinas (SP)

O São Caetano fez o que precisava e contou com a inspirada atuação de Danielzinho para levar o Guarani de volta à Série C. No entanto, a combinação de resultados da última rodada da Segundona não recolocou o Azulão na elite. Enquanto o clube do ABC Paulista terminou em quinto lugar com a vitória por 2 a 1 deste sábado, o Bugre engoliu os erros cometidos na competição nacional e foi rebaixado novamente para a terceira divisão.

O time alviverde disputou a Série C pela última vez em 2008, quando foi vice-campeão e subiu para a segunda divisão. Neste ano, a equipe fez uma brilhante campanha no Estadual e acendeu a esperança no Brinco de Ouro após parar apenas no Santos, de Neymar, na final da competição. A base montada para o torneio, porém, foi desfeita antes da Série B e deixou a equipe sem condições de reeditar a mesma campanha no Nacional.

Com 41 pontos e na 18ª colocação, o Guarani fará companhia a Grêmio-SP, Ipatinga e CRB na terceira divisão do Brasileiro. Já o São Caetano alcançou os 71 pontos e terminou a competição incapacitado de voltar à elite. O time não superou os critérios de desempate dos seus concorrentes diretos e terá de brigar pelo acesso novamente em 2013.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O rebaixamento do Guarani à terceira divisão nacional levou a torcida ao desespero no Brinco de Ouro
O Jogo - Pressionado pela presença do ídolo Amoroso nas arquibancadas e por uma torcida que não gostaria de ver o seu clube de volta à terceira divisão, mas começou o jogo atordoado e teve de se virar com a primeira investida do São Caetano. Logo após o apito inicial, Leandrão recebeu cruzamento no escanteio e cabeceou rente ao poste defendido pelo goleiro Emerson.

O lance já manteria o arqueiro alviverde acordado para os sete minutos de jogo. Éder mandou um belo chute para a meta dos donos da casa e exigiu uma grande intervenção do camisa 1. O Bugre ainda tentou responder com Medina, aos nove minutos, mas não levou sucesso na conclusão.

O desenrolar da partida tomou contornos dramáticos para o clube de Campinas. A notícia de que os seus concorrentes diretos marcavam gols em seus jogos saiu junto do tiro cruzado de Danielzinho, aos 14 minutos. O chute passou muito perto da meta bugrina e deixou o torcedor aflito nas arquibancadas do Brinco de Ouro da Princesa.

Arte GE.Net
O próprio Danielzinho ainda teria a chance de abrir a contagem aos 24 minutos, mas a forte finalização do atleta foi direto para fora. Sem o poder de reação necessário para responder aos visitantes, o Guarani depositava suas fichas em Clebinho e viu o jogador mandar novamente para fora aos 36. A resposta veio com o infernal Danielzinho, que obrigou Emerson a aparecer de novo aos 41.

O segundo tempo teve início com uma postura totalmente diferente do Bugre. Os alviverdes partiram para cima e assustaram com o atacante Schwenck, aos quatro minutos. Já aos dez, Medina ganhou na dividida com a zaga adversária e quase surpreendeu Luiz ao mandar o tiro cruzado. O São Caetano não tardou a responder e parou em Emerson após Samuel Xavier obrigar o arqueiro a espalmar aos 16.

A mentalidade ofensiva que Vilson Tadei impôs ao seu time levou o Bugre para a ruína. Aos 20 minutos, o atacante Danielzinho teve a sua grande atuação recompensa e recebeu passe açucarado de Aílton. O atleta avançou sem encontrar resistência por parte dos defensores adversários e tocou no canto de Emerson para colocar o Azulão na frente.

O gol poderia ter embalado o São Caetano na partida, mas serviu apenas para que o Guarani voltasse ao ataque. O time de Campinas não se intimidou com o iminente rebaixamento e foi à frente com Danilo Sacramento. Aos 28 minutos, meia fintou na ponta direita e bateu rasteiro para vencer Luiz.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Danielzinho marcou dois gols e deixou o campo como o carrasco do Guarani, neste sábado
Enquanto a torcida bugrina ainda comemorava o tento anotado por Sacramento, a defesa vacilou e não conseguiu fazer a linha de impedimento aos 30 minutos. Atento ao longo lançamento vindo do meio-campo, Danielzinho arrancou em direção à área e driblou Emerson antes de tocar para as redes vazias.

A sequência da partida tomou contornos dramáticos e levou os torcedores ao choro nas arquibancadas do estádio. Em meio aos protestos contra a atual gestão do clube e aos erros cometidos após o Paulistão, os campineiros voltaram a viver o drama de ver o clube campeão brasileiro de 1978 voltar a ser rebaixado. O Azulão, que não tinha nada a ver com isso, apenas administrou o resultado e saudou o apoio recebido pela torcida após o apito final do árbitro encerrar o sonho da equipe de voltar para a Série A.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade