• EQUIPES
  • SEDES
  • CAMPEÕES
  • JOGOS
  • ELIMINATÓRIAS
  • FOTOS
  • BLOG

Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Antes de Sheik, o Imperador Japonês: siga a série especial da GE.net

Helder Júnior São Paulo (SP)

Jogar no Japão não será novidade para Emerson. Antes mesmo de ganhar status de Sheik com as passagens destacadas pelo Al-Sadd, do Catar, o atacante já fazia grande sucesso entre os nipônicos. O autor dos dois gols do Corinthians no jogo decisivo da Copa Libertadores da América voltará ao Oriente para disputar o Mundial de Clubes com a confiança de quem passou cinco temporadas em clubes japoneses.

Emerson chegou ao Japão em 2000, após ter sido revelado pelo São Paulo. O jogador logo chamou a atenção do público asiático com a irreverência e o bom futebol característicos. Era ainda mais rápido ao envolver as defesas adversárias. Tinha 21 anos quando foi contratado pelo Consadole Sapporo – ou 19, já que o seu delito de adulteração de idade ainda não havia sido descoberto. Defendeu também o Kawasaki Frontale e, por quatro anos, o Urawa Red Diamonds (“o Corinthians japonês”, segundo seus amigos).

Siga toda a série especial sobre Emerson:
Tite revela punição a atrasos e quer dica de caipisaquê
Antigo parceiro acha “meio complicado” torcer no Mundial
Sucessor é corintiano e fica na torcida pelo Sheik
Nenê fala de bar, passado tricolor e "trairagem"
'Xará' ajudou no parto de filho japonês do atacante
Sheik era polêmico com joias, Rolex e "uma perna"
Antigo tradutor voltou ao Brasil como ator e modelo

A torcida do Urawa é linda. Fui feliz lá. Eu me identifiquei muito com o clube”, recordou Emerson, que certamente será bem acolhido no retorno ao Japão. “Fico muito contente com o carinho deles. Os corintianos também poderão curtir a viagem à vontade, pois é um país maravilhoso, com um povo educado. Vale a pena conhecer. Espero que a gente possa retribuir jogando bem e conquistando o título”, acrescentou o atacante.

Para relembrar as peripécias de Emerson – não foram poucas – no futebol asiático, a Gazeta Esportiva.net lança a partir desta segunda-feira uma série de reportagens sobre o “Imperador Japonês” corintiano. Acompanhe diariamente o que ex-companheiros, antigos intérpretes e até um sucessor do Sheik têm a dizer sobre a volta do ídolo ao país-sede do Mundial de Clubes de 2012.

No primeiro dia da série especial, o técnico Tite revela com exclusividade uma punição que impôs a Emerson e ainda pede uma dica para beber caipisaquê.

Reprodução
Destaque em revista como campeão pelo Urawa Reds, Emerson foi Imperador Japonês antes de virar Sheik

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade