Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Aprovado por Tite, zagueiro Gil diz que “tem uma coisa” com o Timão

Gabriel Carneiro, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Atraído pela experiência internacional do zagueiro Gil, de 25 anos, o corintiano Tite deixou claro que aprovaria sua contratação para a temporada 2013. Procurado na última temporada, o atual camisa 4 do Valenciennes acabou não sendo liberado pela equipe francesa, mas reconhece que a história pode ser diferente a partir de janeiro, quando a diretoria do time brasileiro deve voltar à carga com força total.

Gil superou o ídolo Thiago Silva

“Não vou dizer que não vou voltar para o Brasil, que não tem uma coisa, mas não chegou nada até mim. Fico meio em cima do muro nessa”, confessa o zagueiro, em evidência desde 2009, quando deixou o Atlético-GO para vestir a camisa do Cruzeiro. Apesar de não esconder a intenção de ser negociado com o Corinthians na próxima temporada, Gil garante que o foco está no Valenciennes, atual quinto colocado do Campeonato Francês.

AFP
Agora à vontade no Valenciennes, Gil abraçou o colombiano Carlos Sánchez para celebrar um gol na França
Melhor zagueiro do futebol francês na temporada 2012/2013 de acordo com a imprensa local, Gil foi procurado pela diretoria do Corinthians em janeiro, mostrou-se interessado na transferência em virtude da falta de adaptação à Europa, mas acabou não sendo liberado pela diretoria do Valenciennes, que havia investido R$ 3 milhões em sua contratação apenas quatro meses antes.

“No ano passado, cheguei para o presidente (Jean-Raymond Legrand) e tive uma conversa sincera com ele: ‘O senhor vai me desculpar, eu até queria, mas acho que não vai dar’. Minha família estava sofrendo bastante, então não adiantava fazer meu trabalho, chegar em casa e vê-los tristes porque não saía de casa, não falava a língua, meu filho não estudava. Ele disse que podia ver a proposta do Corinthians, mas que não tinha desejo de liberar. Falei com o treinador, mas acabou que eles não liberaram”, lamenta Gil, nesta entrevista por telefone à GE.net, direto de Valenciennes.

AFP
Gil não foi liberado pelo presidente Jean-Raymond Legrand para defender o Corinthians em 2011
Depois de ter a permanência no Valenciennes decretada à força, Gil ganhou a companhia de um intérprete e acostumou-se com a vida na França. Hoje, ele e a esposa fazem curso do idioma e o filho está regularmente matriculado em uma escola local. Embora tenha superado o sofrimento do início de sua trajetória na Europa, o brasileiro não esconde que atuar no Corinthians colocaria de vez seu nome no rol de selecionáveis.

“Estou focado em fazer uma excelente temporada aqui, tenho minhas ambições também. Mas o Corinthians pode vir a ser uma opção para o futuro, sim. Não posso dizer que não penso, sendo que já nos aproximamos uma vez”, relata Gil, sem esconder suas intenções, mas cauteloso. “Se meu empresário conversou alguma coisa, não estou sabendo. Falei com ele semana passada sobre o que está passando aqui, mas para agora não estou sabendo de nada.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade