Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

De olho no dia 12, Alessandro minimiza clássicos e Chelsea

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O possível encontro com o Chelsea na final do Mundial é imaginado pelos corintianos desde a conquista da Copa Libertadores, em julho. E, antes que chegue a competição no Japão, o Timão tem pela frente dois clássicos, chamados por Tite de “campeonatos à parte”.

Nem os confrontos com Santos e São Paulo, nem a eventual decisão em Yokohama dominam a cabeça de Alessandro no momento. É a partida marcada para o dia 12 de dezembro, em Toyota, que faz o lateral direito conter a ansiedade.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O lateral direito Alessandro está ansioso para a sua primeira partida em um Mundial de Clubes
“Vai ser diferente dos jogos contra Santos e São Paulo. São clássicos, jogos importantes, mas não como no dia 12, que vai ser especial para todo o mundo. É a primeira vez em um Mundial para quase todo o mundo do elenco”, comentou o camisa 2.

No Toyota Stadium, o Alvinegro vai enfrentar o Al Ahly, do Egito, o Auckland City, da Nova Zelândia ou o representante japonês no Mundial, ainda indefinido. Só depois desse jogo, segundo Alessandro, será o caso de olhar com maior atenção o Chelsea ou seja quem for o adversário.

Por isso, o capitão do Timão no Japão não deu muita importância à troca de treinadores na equipe londrina, agora dirigida pelo espanhol Rafael Benítez. Ele pode até erguer a taça diante do atual campeão europeu em Yokohama, mas jura estar mais ansioso para a estreia.

“O Chelsea passa todo dia na televisão, conhecemos de longa data. Mas não é o momento de direcionar nossos pensamentos e preocupações para eles. Não dá para falar da final, tem que esperar um pouquinho mais”, concluiu o lateral.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade