Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Emerson explica que deu o troco com falta de fair play no clássico

Helder Júnior São Paulo (SP)

Autor de um gol decisivo contra o Santos nas quartas de final da última Copa Libertadores da América, o atacante Emerson voltou a enervar o time rival na noite deste sábado, no Pacaembu. Desta vez, com uma atitude polêmica. O Sheik se recusou a devolver a bola para o adversário após o goleiro Rafael paralisar o jogo para receber atendimento médico, ainda no primeiro tempo.

“Não é que eu esteja pilhado. Estamos orientados pelo nosso treinador, um cara de postura, a fazer o máximo de fair play possível. Pô, mas também há limite. Antes, eu claramente joguei a bola para fora porque me machuquei, e eles não devolveram. Achei justo, pela conduta deles, fazer o mesmo depois. É para eles verem o quanto é bom ser respeitado”, esbravejou Emerson.

Após ouvir uma série de reclamações de jogadores do Santos, principalmente do volante Arouca, o Sheik ganhou apoio se seu comandante. “Não foi feito fair play pelo Santos antes. O Emerson dominou a bola, sentiu dor no tornozelo e jogou para a lateral. Mas eles não devolveram. Do outro lado, pagou-se com a mesma moeda. Já que a arbitragem não pode coibir: não recebemos, então não devolvemos”, discursou o técnico Tite.

Nesta semana, um caso de falta de fair play já havia repercutido mundialmente. O atacante brasileiro Luiz Adriano aproveitou uma bola devolvida ao adversário para marcar um dos gols da vitória por 5 a 2 do ucraniano Shakhtar Donetsk sobre o dinamarquês Nordsjaelland, pela Liga dos Campeões. Ele foi afastado por sua equipe e corre risco de acabar punido pela Uefa.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Emerson Sheik se vingou com falta de fair play e irritou os jogadores do Santos no clássico do Pacaembu

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade