Futebol/Mundial de Clubes - ( )

Gobbi acredita que Marin voltará do Japão “enamorado” por Tite

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Apontado como um dos possíveis substitutos de Mano Menezes, o técnico Tite já foi informado de que o Corinthians não o liberará para a Seleção mediante convite da CBF. No entanto, o treinador terá o seu trabalho observado de perto pelo presidente da entidade, José Maria Marin, em dezembro. O dirigente foi convidado para ser chefe da delegação alvinegra no Mundial de Clubes da Fifa, no Japão, e corre o risco de voltar ao País seduzido pelo comandante.

Mário Gobbi, presidente do Timão, tem absoluta certeza de que Marin ficará "enamorado" após conhecer o trabalho do técnico. Ao apresentar uma nova parceria firmada para a Arena Corinthians, na última terça-feira, o mandatário admitiu que a convivência entre o treinador e o dirigente será uma experiência que poderá servir para garantir o seu lugar na Seleção depois do encerramento da Copa de 2014.

“O Tite é um homem honrado e sabe o que quer da vida. Nós fomos bem claros que ele cumpriria o seu contrato até o fim. Com a viagem, o presidente Marin vai ficar enamorado com o Tite. Ele vai conhecer uma grande pessoa e um técnico fantástico. E em outro momento vai chamá-lo para a Seleção. Tudo tem o seu tempo e esse não é o do Tite”, avaliou Gobbi.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Mário Gobbi acredita que Tite ainda não está pronto para a Seleção: "Tudo tem o seu tempo e esse não é o dele"
O Corinthians prolongou o vínculo do seu atual comandante para dezembro de 2013 e se negou a ser escolhido novamente para ceder um treinador ao time canarinho. Em 2010, a equipe alvinegra fazia boa campanha no Campeonato Brasileiro e precisou mudar o seu planejamento depois que Mano Menezes aceitou o convite da CBF.

O escolhido da diretoria para a sequência do ano foi Adilson Batista. O técnico, porém, fracassou em sua passagem pelo Parque São Jorge e foi demitido durante a competição. A busca por uma nova mudança tática levou a diretoria a apostar justamente em Tite. Após perder o título do Brasileiro para o Fluminense, o técnico conseguiu reformular o modo de a equipe se portar em campo e conquistou o Nacional de 2011 e a inédita Libertadores deste ano.

Agora, o comandante convive com as seguidas especulações sobre quem será o escolhido para o posto deixado por Mano Menezes, na última sexta-feira. Além de Tite, a CBF estuda os nomes de Muricy Ramalho, do Santos, Abel Braga, do Fluminense, Pep Guardiola, ex-Barcelona, e Luiz Felipe Scolari, que está sem emprego desde a sua saída do Palmeiras. A tendência é que o novo treinador da Seleção seja anunciado apenas em janeiro de 2013.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade