Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Sheik cita a sua macaca para minimizar desentrosamento com Guerrero

Helder Júnior São Paulo (SP)

Emerson não parece estar muito preocupado com a indefinição do ataque titular do Corinthians para o Mundial de Clubes. Herói da conquista da Copa Libertadores da América, ele sabe que as recentes lesões e alguns atos de indisciplina não deverão tirá-lo da equipe. O desentrosamento com o peruano Guerrero, seu provável parceiro no Japão, também não incomodam o Sheik.

“Vale lembrar que passo mais tempo do meu dia com o Guerrero do que com a minha macaca Cuta”, sorriu Emerson, citando o seu animal de estimação. “Treinamos juntos todos os dias, então já existe algum entrosamento. Os jogos são necessários só para a gente ter um pouco mais de contato e aperfeiçoar isso”, complementou.

Tite já deu a entender que dificilmente abrirá mão de Guerrero entre os titulares no Mundial. O comandante gosta de ter um centroavante de referência como o peruano em seu time. Romarinho, Martínez e Jorge Henrique, no entanto, ainda estão no páreo na disputa por uma das vagas no ataque corintiano.

“Não cabe aos atletas responderem sobre a titularidade”, desconversou Emerson. “Não sei quem vai jogar, sinceramente, embora eu queira muito ser escolhido. Quem decide é o nosso treinador, um cara bastante junto. Todo mundo quer ser titular, inclusive eu. Vamos ver o que pode acontecer”, acrescentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Herói do Corinthians na Libertadores, Emerson deve compor ataque com Guerrero no Mundial de Clubes
No empate por 1 a 1 com o Santos, Emerson e Guerrero atuaram juntos. Mas Jorge Henrique entrou em campo no segundo tempo após pedidos da torcida, deu assistência para o gol do zagueiro Wallace e ficou motivado: “Vou treinar muito até o Mundial. Ainda teremos o jogo contra o São Paulo para eu buscar o meu espaço na equipe”.

Tite gosta de estimular a concorrência sadia entre seus atacantes. Até o final do Campeonato Brasileiro, o técnico não definirá publicamente os escolhidos para a formação titular no Mundial de Clubes. “Vou usar um chavão da minha filha para isso: sei lá”, sorriu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade