Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Comelli lamenta queda de rendimento do Criciúma, mas pede calma

Criciúma (SC)

Mesmo com a terceira derrota seguida do Criciúma dentro de casa, sofrida na noite dessa terça-feira por 2 a 0 para o São Caetano, ainda não há motivo para o torcedor se desesperar. Foi essa a avaliação feita pelo técnico Paulo Comelli em entrevista coletiva após a partida, durante a qual ele lembrou da posição da equipe na tabela – terceira colocada -, embora tenha também sido severo ao assumir a queda de rendimento do Tigre.

“Nós estávamos em uma situação tranquila na competição e poderíamos ter definido a nossa situação. Procuramos fazer de tudo: conversamos, orientamos e fizemos até uma palestra motivacional. Temos falhado muito, com erros que não podem acontecer mais. Tínhamos uma situação que era muito boa. Logicamente [que o acesso à Série A] só depende do Criciúma ainda, mas você dá oportunidade para os adversários se aproximarem”, afirmou.

Tal discurso, no entanto, não foi aceito por parte da torcida do Tigre, que atirou pedras e causou um tumulto em frente ao Heriberto Hülse após a partida. Um repórter chegou a ficar ferido, enquanto esposas de jogadores foram hostilizadas, antes da chegada da polícia.

“Logicamente, há uma frustação. A torcida fica chateada e com razão. Esperávamos o acesso no sábado e hoje [terça-feira], mas ele não veio”, lamentou Comelli.

Mesmo com os tropeços dentro de casa, o Criciúma ainda está quatro pontos à frente do São Caetano, primeira equipe fora do G-4. Nas últimas três rodadas da Série B, o Tigre enfrenta o América-RN (fora), Atlético-PR (casa) e Avaí (fora). O confronto com a equipe potiguar está marcado para as 16h20 (de Brasília) deste sábado.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade