Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Fittipaldi passeia com neto em Interlagos e quer garoto de fórmula

André Sender e Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Bicampeão mundial na Fórmula 1, o brasileiro Emerson Fittipaldi circulou pelo paddock do Autódromo de Interlagos na tarde deste sábado. Respeitado na principal categoria do automobilismo, o ex-piloto aproveitou para apresentar o neto Pietro a membros das equipes.

Filho de Juliana Fittipaldi, Pietro nasceu em Miami e, com apenas 15 anos, conquistou o título da Limited Late Models, uma das várias categorias da Nascar, em 2011. Diante do início promissor do garoto no automobilismo dos estados Unidos, Emerson sonha com uma mudança de rumos.

“O Pietro está indo muito bem lá nos Estados Unidos. Agora, eu gostaria de dar uma chance a ele de fórmula. Ele tem tanto talento, que eu gostaria que ele experimentasse correr de fórmula”, disse Emerson logo depois de apresentar as credenciais do adolescente mais uma vez no paddock de Interlagos.

O bicampeão mundial ainda adiantou que o garoto fará um teste com um monoposto nos próximos meses. “Vamos ver se ele gosta. Como veio do kart, acho que vai gostar”, apostou Emerson, torcendo – o teste de Pietro com um fórmula ainda não tem data e local definidos.

Em seus primeiros passos no automobilismo, o neto de Emerson também teve a influência do tio Massimiliano Papis. Conhecido como Mad Max, o italiano, casado com Tatiana Fittipaldi, passou por categorias como a Fórmula 1 e a Champ Car, além da própria Nascar.

Bruno Ceccon/Gazeta Press
Emerson Fittipaldi trouxe o neto Pietro ao Autódromo de Interlagos e quer ver o garoto andando de fórmula
Fluente em inglês e português, Pietro, ainda com aparelhos nos dentes, conversou com desenvoltura com os personagens apresentados pelo avô. O garoto tinha como principal objetivo alcançar a Sprint Cup, principal categoria da Nascar, antes dos 20 anos, mas demonstra alguma empolgação com a possibilidade de mudar os planos.

“É muito legal estar aqui com o meu avô conhecendo os donos das equipes. É bem legal, uma experiência muito boa para mim. Se Deus quiser, vou estar na Fórmula 1 ou na categoria principal da Nascar. Para mim, tanto faz. Eu gosto das duas. Se eu me mudar para a Europa, por exemplo, fica mais perto da Fórmula 1”, disse Pietro.

Apressado, Pietro correu para o lado do avô após conversar rapidamente com a reportagem para seguir a peregrinação pelo paddock. Sobrinho de Emerson, Christian Fittipaldi chegou a passar pela Fórmula 1 de forma discreta nos anos 1990 e também marca presença em Interlagos neste sábado.

Veja as chances de cada piloto no Mundial:

 
 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade