Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Massa torce por Bruno Senna e critica ‘compra’ de vagas na F-1

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Ameaçado de perder sua vaga na Williams, o brasileiro Bruno Senna conta com a torcida de Felipe Massa para permanecer na Fórmula 1 na próxima temporada. Além de manifestar apoio ao compatriota, o piloto da Ferrari criticou a ‘compra’ de vagas na categoria.

“Não conversei com o Bruno e não sei o que vai acontecer. Quando ainda não está definido, tudo pode acontecer. Espero que o Bruno permaneça na Fórmula 1 no ano que vem e que o Luiz Razia também tenha uma chance de entrar”, afirmou o piloto da Ferrari.

Bruno Senna corre risco de perder sua vaga para o finlandês Valtteri Bottas, atual terceiro piloto da Williams e agenciado por Toto Wolff, diretor executivo da própria equipe britânica. Já Luiz Razia, vice-campeão da GP2, flerta com alguns times menores.

Aos 31 anos, o experiente Massa criticou a prática, cada vez mais comum na Fórmula 1, de priorizar o montante em patrocínios que um piloto pode aportar à sua equipe em uma eventual contratação em detrimento do verdadeiro potencial dentro da pista.

“Não é um momento fácil no meio da Fórmula 1. Hoje, apenas nas poucas equipes grandes não tem esse negócio de pilotos pagantes. No resto (das equipes), a maioria é pagante. Não quer dizer que um piloto pagante não tem talento. Alguns têm e alguns, talvez não”, declarou.

Sem vencer desde o Grande Prêmio do Brasil-2008, Massa penou para renovar seu contrato com a Ferrari, mas estendeu o compromisso com a escuderia italiana até o final de 2013. Por enquanto, ele é o único representante do País na principal categoria do automobilismo.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
O brasileiro Felipe Massa espera contar com a companhia do compatriota Bruno Senna na Fórmula 1 em 2013
“Como você tem que entrar levando patrocínio, fica cada vez mais difícil para os pilotos jovens que vêm da GP2 e de outras categorias. É uma pena, porque acho que isso não é Fórmula 1. Na verdade, isso faz tudo ficar mais complicado”, disse.

Sucessor do compatriota Rubens Barrichello na Ferrari, Massa iniciou sua trajetória na Fórmula 1 pela Sauber, em 2002. Vice-campeão mundial em 2008, ele lembrou o começo da carreira e ainda se mostrou receoso com a condição de único representante do Brasil na categoria.

“Tive a sorte de isso não acontecer na minha época. Os pilotos entravam pelo talento dentro do carro. Naquela época, tinha treino e hoje não tem. É uma pena. Espero que o Bruno continue e que o Razia tenha uma chance, até pelo nosso futuro. O Brasil sempre teve muitos pilotos na Fórmula e espero que isso não acabe “, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade