Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Massa vê injustiça com Schumacher: “esquecem o que ele fez”

André Sender e Bruno Ceccon São Paulo (SP)

O Grande Prêmio do Brasil será a última corrida do alemão Michael Schumacher na Fórmula 1. Companheiro do heptacampeão na Ferrari, Felipe Massa defendeu o astro e tratou com naturalidade os resultados abaixo do esperado alcançados por ele em seu retorno pela Mercedes.

“É um piloto excepcional, que tem praticamente todos os recordes da Fórmula 1. Às vezes, as pessoas acabam esquecendo o que ele fez e pensam: ‘ah, ele não era tudo isso’. Mas ele era”, disse o brasileiro, lembrando os 43 anos de Schumacher. “Ele era, mas ficou velho (risos)”.

Campeão nas temporadas de 1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004, um recorde, Schumacher contabiliza 155 pódios, 1560 pontos, 91 vitórias e 68 pole positions em 307 corridas. Desde que retornou à Fórmula 1 em 2010, no entanto, tem como melhor resultado um terceiro lugar na última edição do Grande Prêmio da Europa.

“Tem uma certa idade em que acabamos perdendo um pouco da concentração, do jeito de trabalhar. A gente vive em um esporte em que o tempo de reação é muito preciso. Se você perder algum detalhe, acaba perdendo um certo valor. A gente não vê um jogador de futebol de 43 anos jogando no melhor nível da carreira”, comparou.

AFP
Felipe Massa rasgou elogios a Michael Schumacher
O Grande Prêmio do Brasil é significativo para Michael Schumacher na medida em que ele se despediu da Fórmula 1 pela primeira vez no Autódromo de Interlagos, em 2006. Seis anos depois, o único heptacampeão do mundo promete deixar a categoria de forma defintiva.

“O esporte é assim. Isso é algo totalmente natural e a gente deve aceitar. Tenho certeza que ele mesmo aceita muito mais agora, deve ter entendido. Mas (o retorno inexpressivo) não tira nada do que fez, do piloto que foi”, defendeu Massa, que ainda revelou um momento de fã.

“Na entrevista coletiva de ontem, eu e o Lewis (Hamilton) estávamos sentados atrás do Michael. Em um momento, o Lewis comentou: ‘você viu quantas estrelas tem no boné dele?’. Eu respondi: ‘é campeonato pra cacete’. Ele ganhou sete vezes e não podemos esquecer o que fez. Sem dúvida, é um dos nomes mais importantes da história”, declarou o brasileiro.

Fora de briga pelo título, Michael Schumacher e Felipe Massa verão a disputa entre o alemão Sebastian Vettel e o espanhol Fernando Alonso em Interlagos. Com 13 pontos de vantagem para o ferrarista, o piloto da Red Bull garante o tricampeonato se terminar entre os quatro primeiros.

Veja as possibilidades de cada piloto:

 
 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade