Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Para Button, carro de 2012 é o pior desde que chegou à McLaren

Woking (Inglaterra)

Irregularidade é a marca da temporada 2012 realizada pelo britânico Jenson Button. O ano começou com vitória no Grande Prêmio da Austrália, mas foi apenas um dos pontos altos do piloto na campanha sem consistência. Segundo ele, a culpa é da McLaren, que forneceu o pior carro desde que o britânico chegou à equipe.

“Esse carro não me agradou, assim como os últimos da McLaren. Desde que cheguei aqui, este tem sido o pior ano. É complicado, mesmo nos finais de semana bons, nós tivemos problemas em praticamente todo final de semana ultimamente. Precisamos parar com isso, eu não entendo”, declarou em entrevista ao jornal inglês The Guardian.

“O carro é bastante incomum na maneira como funciona. Ele funciona realmente bem para Lewis e muito bem para mim às vezes. Mas a consistência não está lá”, completou.

Ao analisar a última corrida, em que o britânico terminou em quarto depois de ser ultrapassado por Sebastian Vettel nas últimas voltas, em Abu Dhabi, Button classificou o carro como “estranho”, mas projetou evolução para o próximo ano, em que terá a companhia do mexicano Sergio Peréz na equipe.

AFP
Button culpa carro por desempenho irregular durante a temporada e espera melhora para próximo ano

“O fim de semana foi estranho. Sexta-feira foi bom, sábado pela manhã foi bom, mas a classificação não foi incrível. O carro não foi horrível, mas também não foi incrível. Temos que tentar algumas coisas novas, pois eu não estou feliz com o ele neste momento. Espero que no próximo ano seja perfeito”, comentou.

Os olhos de Button já estão na próxima temporada, mas isso não o impede de manter o foco nas últimas duas corridas do ano, em que ele e Lewis Hamilton têm a missão de ultrapassar a Ferrari no Mundial de Construtores e ficar com o vice-campeonato entre os fabricantes. A escuderia vermelha tem 340 pontos, enquanto a McLaren soma 318. A Red Bull lidera com 422, larga vantagem que pode garantir o título de forma antecipada em Austin.

“O próximo ano é emocionante, mas ainda temos duas corridas onde queremos ir bem. Nós queremos ficar à frente da Ferrari, mas agora são 22 pontos, o que é bastante. Precisamos de bons pontos nas próximas duas etapas”, analisou o piloto, por fim.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade