Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Razia sela fim da carreira na GP2 e ignora plano B em busca da F-1

André Sender e Bruno Ceccon São Paulo (SP)

O baiano Luiz Razia faz parte da legião de pilotos que buscam uma vaga no grid da Fórmula 1 na temporada 2013 e está determinado a, finalmente, realizar o sonho de chegar à elite do automobilismo mundial. Após fracassar em sua tentativa de entrar na categoria em 2012, o brasileiro tem adversários mais experientes, como o compatriota Bruno Senna e o japonês Kamui Kobayashi, que querem permanecer no grid, mas está confiante. Tanto que já decretou o fim de sua carreira na GP2 e não traçou um plano B caso não obtenha sucesso na F-1.

Razia foi piloto reserva da Virgin em 2010, do Team Lotus na temporada passada da Fórmula 1 e tentou obter, sem sucesso, uma vaga de titular para 2012. Restou ao baiano competir pela quarta temporada consecutiva na GP2, principal categoria de acesso do automobilismo mundial. No campeonato repleto de jovens pilotos, foi vice-campeão, superado apenas pelo italiano Davide Valsecchi, e espera ter impressionado os times da F-1.

"A GP2 é passado. Esse ano foi muito bom, um dos meus objetivos era ser campeão e fechei em segundo. Mas pelas situações acho que foi excelente, consegui muitos pódios, muitas vitórias e convenci o que precisava convencer. Agora precisor ir à frente na minha carreira", afirmou o baiano de 23 anos de idade, nesta sexta-feira, em Interlagos.

As chances de Razia estão concentradas em três equipes: Force India, Caterham e Marussia, cada uma com apenas um cockpit restante para 2013. A preferência é pelo time do milionário Vijay Mallya, sétimo colocado no Mundial de Constutores, mas apenas um lugar em qualquer uma das outras duas escuderias já o deixaria satisfeito. Nas equipes novatas da F-1, o brasileiro dificilmente largaria à frente das últimas três filas nas corridas e teria muitos problemas para brigar por posições.

AFP
O piloto baiano Luiz Razia está de olho em uma vaga para competir pela Force India na próxima temporada
Mas, por enquanto, isso não afeta sua determinação de estar no grid da Fórmula 1. Uma vez na categoria, ele acredita que pode obter resultados que o levem a times mais fortes do Mundial. Caso não consiga uma das disputadas vagas na F-1, Razia não sabe o que fará na temporada 2013.

"Tenho um plano A, enquanto não o conseguir, não pensarei em mais nada", explicou o brasileiro, que pode acabar novamente como piloto reserva. Este ano, ele realizou testes para a Force India e a Toro Rosso, mas não vê com satisfação a opção de não competir novamente na Fórmula 1. "Seria a última opção, mas agora a gente nem está cogitando".

A definição dos últimos pilotos com vaga na Fórmula 1 deve ocorrer no mês de dezembro, semanas após o encerramento da atual temporada da categoria. O Grande Prêmio do Brasil, neste fim de semana, é o último do calendário e será palco da definição do campeão. O alemão Sebastian Vettel tem 13 pontos de vantagem sobre o espanhol Fernando Alonso e é considerado favorito a conquistar o tricampeonato.

"A gente tem nosso pacote: um piloto de calibre, eu acho, patrocinadores e interesse comercial, o Brasil está muito bem. Depende das equipes aceitarem nossas propostas. A gente está na lista e fazendo de tudo para demonstrar que sou a melhor oportunidade", avaliou Razia.

Veja as possibilidades de cada piloto:

 
 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade