Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Ross Brawn lamenta despedida de Schumacher e rasga elogios ao alemão

São Paulo (SP)

O Grande Prêmio de Interlagos, que será disputado no próximo domingo, em São Paulo, vai ficar marcado não só pela definição do campeão da temporada de Fórmula 1, como também pela despedida de Michael Schumacher. Em 2006, depois de ficar com o vice-campeonato, o alemão anunciou sua saída da F-1, mas retornou em 2010 à maior categoria do automobilismo mundial. Agora, porém, a palavra que define o destino de Schumacher é aposentadoria.

Ross Brawn, chefe da Mercedes, atual equipe do dono de sete títulos da Fórmula 1, lamentou o fim da carreira de Michael Schumacher e elogiou o seu trabalho nas últimas corridas de 2012. “A última corrida da temporada, no Brasil, também trará a segunda e última retirada de Michael da F1. Vai ser um fim de semana emocionante para a equipe”, disse. “[Depois de] Ter trabalhado com Michael por todos os 21 anos de sua carreira, sinto que ele é um dos maiores, se não o maior piloto de todos os tempos, e desejo a ele o melhor em seus planos para o futuro”, afirmou Brawn.

O dirigente da escuderia alemã ainda ressaltou que, mesmo com a falta de vitórias em sua segunda passagem pela F-1, Schumacher, que soma 91 vitórias na categoria, teve papel fundamental para o desenvolvimento da Mercedes. “Nós dois aproveitamos e nos beneficiamos bastante deste período de três anos trabalhando com Michael e eu gostaria de prestar uma homenagem a seu contínuo comprometimento, paixão e espírito de equipe”, frisou. “Os resultados que todos esperávamos nesse período não puderam ser usufruídos, mas o progresso que nosso time fez foi significante e estou confiante de que vamos ver as recompensas nas próximas temporadas”, apostou Ross Brawn.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade