Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Senna revela clima de insegurança na F-1 por onda de violência em SP

André Sender e Bruno Ceccon São Paulo (SP)

A onda de violência em São Paulo nas últimas semanas não leva insegurança apenas aos moradores da metrópole, mas também aos visitantes ocasionais da região, entre eles os membros das equipes de Fórmula 1. O autódromo de Interlagos recebe neste fim de semana o Grande Prêmio do Brasil da categoria e, segundo Bruno Senna, pessoas que trabalham nos times chegaram a questioná-lo sobre a situação no País.

No mês de outubro, o número de homicídios dolosos na cidade subiu 92% em relacão ao ano anterior.

"Todo mundo lê as notícias da onda de violência aqui de São Paulo e do Sul e isso com certeza não deixa ninguém muito confiante, muito animado para se arriscar", afirmou o brasileiro da Williams, apontando que as medidas de precaução em relação aos anos anteriores não foram alteradas.

Nesta quinta-feira, o carro de Senna foi seguido pelo do finlandês Valtteri Botas, piloto reserva do time, do hotel em que a equipe está hospedada até o Autódromo de Interlagos para que o europeu não se perdesse e assim passasse a correr mais riscos.

Em 2010, o carro em que britânico Jenson Button retornava de Interlagos para seu hotel sofreu uma tentativa de assalto. Na ocasião, o veículo blindado era dirigido por um policial, que conseguiu forçar passagem pelo trânsito da capital paulista e escapou dos homens armados.

AFP
Número de homicídios em São Paulo saltou nas últimas semanas e causou preocupação na F-1
"Acho que tem um certo clima de insegurança, mas também teve no Bahrein. Às vezes você vai para um lugar em que a situação não está totalmente tranquila e precisa aprender a lidar com isso" explicou Bruno Senna.

A prova bahrenita, a quarta do calendário da Fórmula 1 de 2012, também causou apreensão nas equipes de Fórmula 1 por conta de conflitos políticos e sociais entre manifestantes e as forças governamentais. Em um dos dias do evento, um carro com membros da Force India ficou preso em uma zona de embate entre protestantes e policiais. A capital do país árabe receberia a primeira prova do Mundial de 2011, que acabou cancelada pela falta de segurança.

Veja as possibilidades de cada piloto:

 
 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade