Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Ídolo em Old Trafford, Cantona sonha em substituir Alex Ferguson

Manchester (Inglaterra)

Depois do galês Ryan Giggs, foi a vez de outro ídolo da história recente do Manchester United manifestar intenção de suceder Sir Alex Ferguson no banco de reservas. Atacante da equipe no final dos anos 1990, o francês Eric Cantona rasgou elogios ao escocês e revelou sonhar em comandar os Red Devils em um futuro distante.

“Ele é novo, tem muita energia, muito amor ao jogo e muitas coisas a dar ainda. Mais, e mais, e mais. Eu amo vê-lo ganhar e quero que ele siga como técnico para sempre. Ele é um vencedor, por isso consegue conquistar tantas coisas”, ressaltou o ex-atacante.

AFP
Famoso pelo forte temperamento, polêmico Cantona colecionou títulos em sua carreira no futebol
Atualmente trabalhando como diretor de futebol do recém-recriado New York Cosmos, o francês lembrou dos bons momentos vividos ao lado de Ferguson durante as cinco temporadas em que trabalharam juntos em Old Trafford, quando conquistaram quatro títulos do Campeonato Inglês.

“O que é incrível nele é que ele trata o próximo jogo como o primeiro da carreira, e ele passa isso a você. Ele passa essa paixão, passa esse amor ao jogo, o amor por vencer”, destacou o ex-camisa 7 do Manchester United em entrevista ao jornal britânico Daily Mirror.

Perguntado se assumiria o cargo de treinador dos Diabos Vermelhos para substituir Fergie, Cantona deixou a possibilidade em aberto. “Eu poderia dizer: ‘O United é especial, é claro que eu faria isso’. Mas hoje estou com o Cosmos. Se um dia essa oportunidade aparecer, por que não? Seria como mergulhar daqui para o mar, assistir e conversar com peixes, polvos, caranguejos e jornalistas”, comparou.

Revelado pelo Auxerre, um dos times com mais tradição nas categorias de base, Eric Daniel Pierre Cantona passou pelo modesto Martigues antes de conquistar o Campeonato Francês por Bordeaux e Olympique de Marselha. Já na Inglaterra, tirou o Leeds United da fila ao vencer o Campeonato Inglês de 1991/92, competição que faturou mais quatro vezes no Manchester United.

Pela seleção francesa, disputou a Eurocopa de 1992 e, como técnico no futebol de areia, venceu o Mundial de 2005. Apesar disso colecionou inimizades fora de campo, principalmente ao pisar em uma camisa do Olympique de Marselha, equipe mais popular da França. Pelo United, se irritou com ofensas vindas da arquibancada e acertou uma voadora em um torcedor do Crystal Palace.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade