Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Materazzi coloca o desafeto Zidane como um dos maiores da história

Milão (Itália)

A cabeçada de Zinedine Zidane no zagueiro Materazzi foi eternizada na final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, e até virou estátua em Paris. O que a torcida francesa não esperava era a declaração do italiano nesta quarta-feira. Em entrevista ao site Sport Mediaset, o jogador considerou o seu antigo desafeto um dos cinco maiores atletas da história.

A imprensa europeia especula que Materazzi e Zidane haviam se encontrado em 2010 para fazer as pazes. O incidente gerou um cartão vermelho para o francês em sua despedida do esporte e marcou o tetracampeonato da Itália nos pênaltis. Ao falar sobre a cabeçada, o italiano procurou se esquivar e exaltou a importância do ex-jogador para o futebol.

“Ele tem um lugar no meu coração. Gostaria de ter jogado ao lado dele”, disse o atleta, que citou outros onze ex-companheiros para a formação de sua seleção ideal. O time seria composto por Júlio César, Maicon, Cannavaro, o próprio Materazzi e Chivu; Gattuso, De Rossi, Stankovic, Cassano e Zidane; Eto'o.

Sem clube desde que encerrou a sua passagem pela Inter de Milão, Materazzi relutou em anunciar a aposentadoria e deixou em aberto a possibilidade de voltar a jogar profissionalmente. O zagueiro despontou para o futebol no Marsala e defendeu Trapani, Perugia, Carpi e Everton, da Inglaterra, em sua carreira.

AFP
A cabeçada de Zidane não manchou a sua importância para o zagueiro italiano Marco Materazzi

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade