Futebol/Bastidores - ( )

Pensando no Chelsea, Tite revela choro após título da Libertadores

São Paulo (SP)

O dia 4 de julho deste ano ainda tem imagens vivas na memória de todos os corintianos, mas um alvinegro em especial revelou uma história, no mínimo, inusitada sobre a inédita conquista da Copa Libertadores da América. Ídolo da torcida, o técnico Tite se mostrou frustrado por não ter conseguido chorar em pleno Pacaembu e relembrou uma gafe que quase cometeu na histórica data.

Convidado do programa de canal fechado Bem, Amigos, o comandante alvinegro se emocionou ao comentar o choro do piloto brasileiro Felipe Massa, que conquistou o terceiro lugar no GP de Interlagos de Fórmula 1. Aproveitando o assunto, o treinador resolveu se abrir ao contar que desabou em lágrimas quando encontrou os familiares após a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors.

“Não tive coragem de chorar, só consegui ao lado da minha família. Às vezes as pessoas esquecem que os profissionais do futebol têm esse lado. quando o jogo estava acabando, alguém chegou atrás de mim e gritou: ‘Parabéns, somos campeões!’ Virei bravo para falar que não tinha nada acabado e só baixei a voz quando vi que era o presidente (Mario Gobbi). O juiz apitou e aí a gente pode se abraçar”, relatou.

Já com a cabeça voltada para o Mundial de Clubes, Tite lembrou de um episódio em que se irritou ao ver o estilo de jogo do Corinthians ser comparado com a retranca utilizada pelo Chelsea na campanha da Liga dos Campeões da Europa. Meses depois, o técnico esclareceu a irritação e se mostrou preocupado com a mudança tática dos ingleses e com a chegada do técnico espanhol Rafa Benítez, recém-contratado para a vaga deixada pelo italiano Roberto Di Matteo.

“O futebol deles mudou. Marcavam atrás e saíam no contra-ataque, sem manter posse de bola. Agora é um time ofensivo, uma linha de três meias, mas ainda não se ajustou, o que é normal. Se eu jogasse com Bayern de Munique e Barcelona, também iria me segurar mais atrás. Mas também pegamos adversários qualificados e não ficamos só marcando. É só ver que no segundo turno do Campeonato Brasileiro nós tivemos o melhor ataque. Agora terei que estudar novamente para ver as mudanças que o Benítez poderá fazer”, ressaltou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade