Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

César Maluco ataca Tirone e Evair imagina 'problema grave' no Verdão

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Dois dos maiores ídolos do Palmeiras, os ex-atacantes Evair e César Maluco viveram momentos vencedores no clube e não esconderam a frustração com a queda do time para a Série B, definido nesse domingo. Autor de 180 gols com a camisa alviverde, Maluco não poupou críticas à atual diretoria, comandada por Arnaldo Tirone, antes seu amigo.

“O pai dele era meu diretor, na época do Ademir e dos demais. Agora, nem nos cumprimentam, nem conversam com a gente”, alegou o segundo maior artilheiro do Verdão e ex-conselheiro, em conversa com a reportagem da GE.net. “O que estragou foi a vaidade dos que assumiram o Palmeiras. Eles esqueceram a bandeira, a humildade, o torcedor, o associado, os ex-jogadores. Esqueceram tudo pela vaidade deles.”

Jogador do Verdão entre as décadas de 60 e 70, César Maluco considerou que haverá uma melhora apenas a partir das eleições diretas, que terão início em 2015. Depois de perder o contato com os que comandam o clube na administração de Arnaldo Tirone, o ex-atacante deu a ideia de aproximar atletas que passaram pelo clube e com história consagrada junto ao elenco.

Gazeta Press
Mais próximo na gestão de Belluzzo (dir.), César Maluco (esq.) quer mais espaço para ex-jogadores no Verdão
“Se cada vez que o jogador vier vestir a camisa do Palmeiras ele conversar com Ademir da Guia, Dudu, Djalma Santos, é outra coisa. Ele vai comentar com a família, é outra cara. O Valdir de Moraes estava lá, o Palmeiras sempre teve uma boa safra de goleiros e hoje você vê como está. O cara vai envelhecendo, tem que fazer uma reforma, mas não tirar ele, porque consegue ainda ficar orientando por fora”, disse, lembrando da saída ainda mal explicada de Valdir, em fevereiro.

Evair, por sua vez, foi mais contido ao comentar a situação da diretoria. Campeão da Libertadores de 1999 pelo Palmeiras, o também ex-camisa 9 levantou a possibilidade de um problema sério dentro do elenco, que quatro meses antes de ser rebaixado no Brasileiro, conquistava o título da Copa do Brasil, sobre o Coritiba.

“É difícil dizer para quem está longe, podemos analisar diante do que você nos mostram, mas a gente imagina que alguma coisa muito grave aconteceu lá dentro, porque um time que foi campeão há poucos meses de um título difícil, de repente cai para a segunda divisão, tendo inúmeras partidas e tempo para recuperar. Parece que não foi suficiente, já há algumas rodadas parecia ser um prenúncio do que estava por vir”, alegou.
 
 
“De repente eles tiram forças de onde não tinham para ganhar a Copa do Brasil e depois houve um relaxamento muito grande. Então alguma coisa muito grave pode ter acontecido para esta situação”, completou o autor de 127 gols com a camisa alviverde, que pediu ao torcedor para não deixar de ter orgulho de ser palmeirense.

César Maluco, por sua vez, precisou resolver esta situação em sua própria casa. Seu neto, de seis anos de idade, cogitou a possibilidade de mudar de torcida com o novo rebaixamento, do Palmeiras, o segundo, em dez anos. O ex-jogador, porém, contou que vetou a ideia da criança, em meio a alguns risos. O discurso, porém, voltou a ficar sério ao falar de Tirone.

“Quem antes era seu amigo, depois que ocupa um cargo você vê diferente. O ditado é certo: conheça o homem a partir do momento que dão o poder a ele”, atacou. Os dois ex-atacantes do Verdão chegaram a um consenso em relação ao futuro. Ambos alegaram a necessidade de realizar uma mudança para a temporada que vem.

“Algo tem que ser feito, acho que esse é um ponto que todo mundo concorda. É preciso fazer mudanças, que tenha outro tipo de administração, que saiba manejar melhor”, lamentou Evair. “(Na eleição de janeiro) Nossos colegas do conselho têm que votar em um homem que tenha capacidade de comandar o Palmeiras, que conheça o clube, e tenha amor por esta bandeira”, decretou o ex-jogador, em discurso endossado por toda a torcida alviverde.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Atacante de sucesso no Palmeiras, Evair considera ter havido um problema de vestiário no atual elenco


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade