Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Cigano visita CT e promete se juntar à “nação corintiana” no Mundial

Helder Júnior São Paulo (SP)

Lutador do Corinthians, Junior Cigano esteve no CT Joaquim Grava nesta quarta-feira. Conversou com alguns jogadores, tirou fotografias com o goleiro Julio Cesar e falou publicamente sobre as suas expectativas para dois grandes eventos esportivos de fim de ano – a luta que fará com o norte-americano Cain Velasquez no UFC 155 e o Mundial de Clubes de futebol.

“Como corintiano, acho possível que o Corinthians vença o Chelsea e seja o campeão mundial. Vou torcer muito para o título vir para o Brasil. Será especial. Quero acompanhar o torneio junto com a nação corintiana”, avisou Cigano, sorridente, apesar de admitir que não conhece tanto sobre futebol. “Meu pai é aficionado, mas eu não jogava bola muito bem.”

O lutador de MMA (artes marciais mistas), no entanto, gosta da ligação do futebol com o seu esporte. Além dele, o Corinthians apoia Anderson Silva, também campeão do UFC. “É um dos motivos da minha felicidade. Foi interessante o que o clube fez comigo e com o Anderson, algo de visão. O nosso esporte é novo, mas todo mundo já viu o potencial que tem”, discursou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Lutador Junior Cigano tirou o chapéu para a preparação do Corinthians para o Mundial de Clubes do Japão
Cigano é uma das referências do MMA. Tornou-se campeão dos pesos pesados do UFC depois de derrotar Cain Velásquez em novembro do ano passado. A revanche será em 29 de dezembro, em Las Vegas. “Conquistei o cinturão contra ele com um nocaute. Quero usar as minhas mãos mais uma vez”, afirmou o catarinense radicado em Salvador, que é especialista em boxe.

Os próximos desafios de Cigano poderão ser o holandês Alistar Overeem, flagrado recentemente em exame antidoping, e o norte-americano Jon Jones, campeão dos meio-pesados. Em uma de suas muitas provocações, o primeiro já afirmou que causa medo no lutador brasileiro.

“O cara só fala besteira. Infelizmente, dão espaço porque a galera gosta disso”, criticou Cigano, sobre Overeem. “Como falhou no exame de doping, ele procura algum jeito de aparecer. Doping é uma vergonha para um atleta profissional. Não tem nem cabimento. Quem se dopa é um falso campeão. Nunca fiz uso de artifícios assim e nem vou fazer”, bradou.

Quando o assunto é a sensação Jon Jones, quem provoca é Cigano. “Ele já disse que vai subir para os pesos pesados, mas a minha categoria é mais difícil e perigosa. Em cima, o negócio é mais embaixo. Espero que o Jon Jones esteja preparado. Darei o meu máximo para pará-lo”, afirmou.

Por fim, Junior Cigano avisou que sabe um segredo para superar Cain Velasquez, Alistar Overeem e Jon Jones – e também para o Corinthians ser campeão mundial. “Confiança é o mais importante. Antes das lutas, eu me vejo com o braço erguido, como vencedor, milhares de vezes. O Corinthians também pode ser assim e ir para o Japão achando que conquistará um título muito desejado por nós”, disse o torcedor.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade