Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Dono da 8 no São Paulo, Ganso se diz típico "grande camisa 10"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Paulo Henrique Ganso aparentemente ainda não se acostumou a ser camisa 8. Após sua primeira partida pelo São Paulo, na vitória sobre o Náutico, o meia falou como um típico 10, numeração que usava no Santos, chegou a vestir também na Seleção Brasileira e pode até retomar a partir da próxima temporada.

"Quero fazer muitos gols, chegar perto da área, finalizar, ajudar os atacantes. Essa é a função de um grande camisa 10", disse o jogador, que atuou por 38 minutos após entrar no segundo tempo da partida. "Hoje (domingo) fiz o básico, até porque a equipe do Náutico estava fechada, bem postada lá atrás".

Ganso só não tem a 10 porque, ao chegar em setembro, ela já tinha dono: Jadson. No ano que vem, porém, o ex-santista pode recuperá-la. Além de a 7 ficar disponível para Jadson com a saída de Lucas para o Paris Saint-Germain, o clube mudará de fornecedora de material esportivo, o que surge como boa desculpa para a alteração da numeração fixa.

"A numeração é um entendimento entre o marketing e o departamento de futebol. Eu acho que não vai mudar, embora isso possa ser redefinido no início da temporada. A tendência é a continuidade dos registros deste ano", disse o vice-presidente de marketing, Julio Casares, em entrevista à GE.net, nessa semana.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Em sua primeira partida com a camisa do São Paulo, o meia Paulo Henrique Ganso usou o número 8 no Morumbi
Por coincidência, quem deixou o campo neste domingo para Ganso estrear foi exatamente Jadson. O técnico Ney Franco negou que isso signifique que, em 2013, ambos disputarão posição. "Não quis mexer na estrutura do time para esta partida. Simplesmente fiz a troca de um meia pelo outro, mas ambos podem jogar juntos em determinado momento", disse o treinador.

A transição da 8 para a 10 já ocorreu no passado do clube. Na década de 1970, o uruguaio Pedro Rocha começou sua história "por baixo" e só assumiu o principal número do time depois da saída de Gérson, o "Canhotinha de Ouro" campeão mundial com a Seleção, no México.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade