Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Elogiado por Ney Franco, Cavalieri coloca Rogério Ceni ‘em pedestal’

Gabriel Carneiro e Tossiro Neto São Paulo (SP)

Se para Ney Franco, técnico do São Paulo, Rogério Ceni e Diego Cavalieri estão no mesmo nível técnico, o goleiro do Fluminense prefere ser humilde e acreditar que o são-paulino está em um patamar tão acima que, por esse motivo, chegou a mudar a verdadeira função do camisa 1 no futebol brasileiro. O embate entre os dois clubes realizado neste domingo, às 17 horas (de Brasília), no estádio do Morumbi, colocará em lados diferentes uma geração que já mostrou o seu valor e outra que ainda busca o lugar ao sol.

Goleiro da Seleção Brasileira nas Copas do Mundo de 2002 e 2006, Rogério Ceni sempre deixou claro publicamente que Cavalieri deveria ser o titular do time de Mano Menezes para a Copa de 2014. Sem uma oportunidade sequer, o camisa 12 do Fluminense só se importa em sair vencedor do Campeonato Brasileiro de 2012, sua primeira temporada como titular do time carioca.

“Estou feliz por viver um bom momento, mas isso não muda nada, porque minha responsabilidade dentro do Fluminense é grande e é para o meu clube que tenho que contribuir e seguir trabalhando”, discursa Diego Cavalieri, preocupado apenas com o confronto diante do São Paulo e com os perigos da equipe paulista, como o selecionável Lucas, o artilheiro Luis Fabiano e o goleiro Rogério Ceni.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Titular do Fluminense, Diego Cavalieri recebeu elogios de Ney Franco e colocou Rogério Ceni num 'pedestal'
“Dentro de campo não tem o que falar da qualidade técnica dele, é um cara que dispensa comentários. Além da função que exerce muito bem de defender, quando tem falta, bola parada, a gente sabe da qualidade dele batendo na bola. Então, além dos atacantes do São Paulo, ele é um ingrediente a mais que temos que nos preocupar”, pontua Cavalieri, que ainda não esqueceu o fato de ter sofrido um gol de Rogério Ceni no Brasileirão de 2011, no Morumbi.

O respeito do goleiro do Fluminense pelo são-paulino, no entanto, não demora a se transformar em admiração: “Tive a oportunidade de conversar com ele fora de campo, e é um cara exemplar. Acho que para a nossa posição ele contribuiu muito com a evolução do goleiro no futebol”.

Ney Franco garante voto – Treinadores e capitães das equipes que disputam o Brasileirão têm direito de voto na eleição dos melhores do campeonato. Sem poder votar em Rogério Ceni, o técnico do São Paulo não titubeia em apontar o nome do goleiro do ano: “O Diego está em um momento muito bom. O voto é secreto, mas se eu for votar ele é o melhor. Até porque não posso votar no Rogério Ceni, mas os dois estão no mesmo nível.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade