Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Juiz relata confronto entre palmeirenses e policiais em Araraquara

São Paulo (SP)

Atuando distante de São Paulo por conta de punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Palmeiras pode sofrer nova penalização. O árbitro da partida entre o clube paulista e Botafogo, Elmo Alves Resende Cunha (GO), relatou na súmula do confronto agressões da torcida alviverde a policiais presentes na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), no último domingo.

Segundo o árbitro, um tenente da polícia militar informou que alguns de seus companheiros foram agredidos por torcedores do Palmeiras e precisaram receber atendimento em uma ambulância presente no local. Os incidentes aconteceram nas arquibancadas do estádio, que recebeu público de 13.228 pessoas.

Além disso, Elmo Alves Resende Cunha afirmou que uma bomba foi lançada pela torcida em direção ao grupo da polícia aos 40 minutos do segundo tempo, quando o time comandado pelo treinador Gilson Kleina perdia por 2 a 1. Aos 45 minutos, Hernán Barcos marcou para a equipe alviverde e empatou o embate.

Em situação delicada no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras ocupa a 18ª colocação na tabela de classificação, com 33 pontos, estando sete pontos atrás do Bahia, primeiro clube fora da zona de rebaixamento. Em caso de derrota diante do Fluminense, neste domingo, em Presidente Prudente, o clube alviverde pode ter a queda garantida ainda nesta rodada. Para isso, Bahia e Portuguesa devem superar Cruzeiro e Botafogo, respectivamente.

Confira na íntegra os incidentes relatados pelo árbitro em súmula divulgada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF):

“Fomos informados pelo 1º Tenente Zacheto que o mesmo e o Soldado Tasso, o Cabo Vicente e o Cabo Lucélia foram agredidos fisicamente, sofrendo escoriações, pela torcida da S.E Palmeiras. Os agredidos foram atendidos pela ambulância. O 1º Tenente Zacheto teve, inclusive, seu capacete danificado. Tais fatos ocorreram nas arquibancadas, próximas a referida torcida.

Fomos informados, também, pelo 1º Tenente Zacheto, que por volta dos 40 minutos do 2º tempo, uma bomba foi arremessada pela torcida alviverde, da S.E Palmeiras, próxima à tropa que estava se formando. A torcida que arremessou a bomba se encontrava nas arquibancadas atrás do gol, onde estava localizada a torcida alviverde, da S.E Palmeiras.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade