Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Mandos perdidos e lesões são vistos como decisivos para queda

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Jogadores, técnico e dirigentes do Palmeiras procuraram assumir ao menos parte da responsabilidade pelo rebaixamento. Em comum nas justificativas de todos, porém, estão os problemas físicos dos atletas e os quatro jogos nos quais a equipe não pôde atuar na cidade de São Paulo por punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

“São fatos. Primeiro, o número de lesões, que passa pelo calendário, mas passa também por planejamento. Segundo, a perda dos mandos. Comigo aqui, a gente só fez um jogo em casa. Uma hora você joga a 300 km, outra a 600 km. Você abdica da logística natural pra viajar, corta a recuperação do atleta. Isso atrapalha demais”, disse o técnico Gilson Kleina.

O Verdão perdeu esses mandos por conta do comportamento de parte da torcida na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, no dia 16 de setembro. Revoltados com a atuação do time, com a provocação do alvinegro Romarinho e com um gol anulado com atraso, palmeirenses chegaram a quebrar cadeiras no Pacaembu e atirá-las.

Obrigado a fugir de São Paulo, o Alviverde jogou três vezes em Araraquara, perdendo para o Coritiba, batendo o Cruzeiro e empatando com o Botafogo. Em Presidente Prudente, a equipe foi derrotada novamente e viu o Flu ser campeão. “Quatro mandos de campo perdidos atrapalham”, afirmou o presidente Arnaldo Tirone.

Na tentativa de entender o que aconteceu, os palmeirenses citaram também a conquista da Copa do Brasil. A equipe priorizou essa competição, começou atrás no Campeonato Brasileiro e nunca se recuperou na tabela. Ficou a impressão de que o título maquiou uma realidade que não era das mais bonitas.

“O pessoal entende que houve um relaxamento. Eu nunca tinha vivido uma situação como essa. Nem como atleta, nem como gestor”, disse César Sampaio, gerente de futebol, para quem a reta final foi cruel com o Palmeiras. “Fizemos jogos em que merecíamos a vitória, e ela não veio. Contra o Flamengo, foi um desses jogos.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade