Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Marin avisa ao Corinthians que não chefiará delegação no Mundial

São Paulo (SP)

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, informou ao Corinthians em ofício nesta quinta-feira que não será o chefe da delegação alvinegra durante o Mundial de Clubes, dezembro, no Japão. Ele explicou ao clube que estará no país asiático, mas como membro da delegação da Fifa.

"Devido aos compromissos da agenda da Fifa, incompatíveis com os compromissos da delegação do Corinthians, lamento informar a vossa senhoria que terei que declinar do convite. Agradeço ao ilustre presidente e prezado amigo pelo convite que tanto me honrou, e aproveito para desejar ao Sport Club Corinthians Paulista pleno sucesso na busca deste título internacional, tão importante para o futebol brasileiro", disse Marin na carta.

Antes de Marin, o Timão cogitou colocar Luís Inácio Lula da Silva, presidente da República entre 2003 e 2010 e torcedor corintiano, na posição. O político, porém, informou que não poderia participar do evento e cúpula então fez o convite a Marin. Com a recusa do dirigente, o cargo não deve ser ocupado na viagem para a disputa do Mundial.

Esta foi uma semana conturbada para o dirigente da CBF. Depois de anunciar na última sexta a demissão de Mano Menezes, Marin viu Andrés Sanchez, ex-presidente corintiano, pedir a saída da direção de seleções da entidade, por não concordar com as atitudes que o mandatário vinha tomando, como na saída do treinador e na chegada de Luiz Felipe Scolari.

Nesta quinta, Felipão foi anunciado como novo comandante da equipe brasileira, visando a Copa das Confederações e o Mundial de 2014, com Carlos Alberto Parreira ao seu lado, no cargo de coordenador. Marin não escondeu sua satisfação com a escolha, e explicou que não queria conturbar o Corinthians antes do torneio do Japão, para justificar não ter levado Tite para a equipe nacional.

“Tornou realidade o grande sonho de milhões de corintianos, a conquista da Libertadores. Todos nos transformamos em torcedores do Corinthians. Queremos que o treinador e a equipe tenham a maior tranquilidade para o Mundial de Clubes, que o foco esteja voltado exclusivamente para esse título . É também um reconhecimento ao presidente Mário Gobbi que a delegação viaje tranquila, concentrada totalmente nessa disputa em Tóquio”, dissera o dirigente, no mesmo dia que declinou o convite corintiano para fazer parte da delegação no Mundial.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade