Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Novo rebaixamento escancara vergonha de Emerson no Guarani

Campinas (SP)

Apontado pelo torcedor como um dos símbolos do surpreendente vice-campeonato paulista neste ano, o goleiro e capitão Emerson foi o porta-voz do Guarani após o clube ser mais uma vez rebaixado para a Série C do Brasileiro. Ao ouvir os protestos do torcedor e os gritos contra jogadores e dirigentes, o arqueiro procurou pedir desculpas aos que compareceram ao revés por 2 a 1 para o São Caetano e se disse envergonhado com a queda.

“Estou destruído, é uma vergonha. Todo clube entra para ser campeão e ficar lá no topo, mas o Guarani acabou ficando nessa situação. Estou envergonhado, não adianta ficar acusando agora um ou outro. Temos de nos reestruturar para voltar a subir”, discursou o jogador, que foi um dos grandes responsáveis por evitar uma derrota ainda pior para o Azulão, neste sábado, no Brinco de Ouro da Princesa.

Sem palavras para apontar o que deu errado após a brilhante campanha no Estadual, Emerson optou por fazer uma promessa ao torcedor e garantiu que irá trabalhar duro para levar o clube de volta à Série B. “Não conseguimos dar sequencia durante o campeonato, o que é lamentável. Pedimos desculpa ao torcedor que veio aqui e lotou o estádio”, completou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Goleiro Emerson deixou o gramado se dizendo envergonhado com o rebaixamento do Guarani à Série C
O Guarani deixou a terceira divisão em 2008, quando foi vice-campeão do torneio e subiu para a segunda divisão. O time chegou a voltar à elite no ano seguinte, mas caiu novamente para a Série B em 2010. Após o presidente Leonel Martins de Oliveira ser deposto, em 2011, Marcelo Mingone assumiu o clube e formou a base que eliminou Palmeiras e Ponte Preta e caiu apenas no final do Paulistão, para o Santos.

Com Vadão à frente da equipe, o Bugre despontava como um dos favoritos ao título da Série B e tropeçou no seu próprio planejamento ao negociar boa parte dos jogadores que brilharam no Estadual. Aliado a isso, o líder Fumagali passou praticamente todo o campeonato lesionado e deixou o treinador carente de um camisa 10. Os seguidos tropeços e as crises internas também pesaram e o próprio Vadão pediu demissão antes de o torneio ter fim.

O responsável por assumir a ‘bomba alviverde’ foi Vilson Tadei, que já havia conquistado o acesso para a elite estadual com o mesmo Guarani, em 2011. Porém, os resultados não vieram e até o presidente Marcelo Mingone divulgou uma carta pedindo a sua demissão. Entregue à própria sorte, o Bugre contou com o Brinco de Ouro repleto de torcedores neste sábado, mas não conseguiu parar o atacante Danielzinho e teve a sua queda decretada depois de os também ameaçados Bragantino e Guaratinguetá vencerem os seus jogos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade