Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

São Paulo espera rival fechado e promete partir para cima

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O São Paulo massacrou a Universidad de Chile, atual campeã, rumo às semifinais da Copa Sul-americana, mas não se esqueceu da dificuldade para eliminar a equatoriana Liga de Loja na fase anterior. Diante da Universidad Católica, os tricolores esperam um confronto mais parecido com o das oitavas de final.

“Vai ser um jogo semelhante com o da Liga. A Universidad Católica tem uma proposta de jogo diferente da La U [Universidad de Chile], que atua mais aberta e muitas vezes deixa a defesa desprotegida”, analisou o técnico Ney Franco.

A Católica não faz grande campanha no Campeonato Chileno. E até seus torcedores, em enquete promovida no site oficial do clube, escolheram os contra-ataques como a melhor estratégia para encarar o Tricolor em Santiago.

“Eles jogam com duas linhas de quatro jogadores. Coincidentemente, têm um posicionamento parecido com o Náutico, nosso último adversário. Ficam com os jogadores atrás da linha da bola, marcam bem atrás”, disse o treinador do São Paulo, que promete manter uma formação ofensiva: “Nossa equipe não vai abrir mão de partir para cima”.

Para evitar os problemas enfrentados contra a Liga de Loja, o time do Morumbi quer voltar do Chile com uma vitória. Nas oitavas, após empate por 1 a 1 no Equador, a classificação só foi obtida no critério dos gols marcados fora de casa, com 0 a 0 em São Paulo.

“Qualquer resultado não for a vitória vai criar dificuldades para a gente aqui. O São Paulo não sabe jogar por empate e vai em busca da vitória. É impossível ter três atacantes e ficar lá atrás, esperando o adversário”, disse Luis Fabiano.

O centroavante até espera alguma agressividade dos chilenos, mas lhes recomenda cautela. “Ficar no 0 a 0 não vale muito, eles vão ter que sair um pouco. Mas, se vierem abertos, vai ser complicado para eles também.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade