Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Tricolores usam mau exemplo do Vasco para seguir atentos

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O Vasco chegou a acumular 54 rodadas seguidas no G-4, entre os Brasileiros de 2011 e 2012, antes de uma queda livre. Com seis derrotas e um empate, a equipe ficou longe da briga para jogar a próxima Taça Libertadores.

A crise do time carioca vai muito além das quatro linhas, mas serve de exemplo para o São Paulo. Com cinco pontos de vantagem sobre o Botafogo, quinto colocado do Nacional, o Tricolor quer resolver logo sua classificação à competição continental.

"A gente não pode bobear porque acabam encostando na gente. O Vasco abriu sete pontos na nossa frente, mas bobeou, e a gente acabou passando. Temos de selar nossa vaga, sem bobear e sem ser surpreendido", disse o atacante Osvaldo.

"Nossa equipe tem que manter o foco, a pegada, a seriedade. Se cochilar um pouquinho, o Botafogo pode encostar. O negócio é fazer o dever de casa", concordou o lateral Cortez, deixando para depois a Copa Sul-Americana, disputa que tem no São Paulo um dos semifinalistas.

A confirmação da vaga virá no domingo em caso de vitória sobre o Náutico e de tropeço do Botafogo diante do Sport. Se o Botafogo perder em Recife, bastará ao Tricolor um empate no Morumbi.

Com promoção de ingressos e provável estreia de Ganso, o clima é festivo para a partida. A situação do Náutico, praticamente livre do risco de rebaixamento, também colabora para certo relaxamento, algo combatido pelo técnico Ney Franco.

"Temos de entrar com toda a seriedade possível em campo e atenção redobrada no Morumbi. Estaremos jogando diante da nossa torcida, com a possibilidade de conquistar essa vaga. Temos de vencer", resumiu o volante Wellington.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade