Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Verdão torce para jogo com Inter ser anulado e ficar "em pé de novo"

Araraquara (SP)

Com a delicada situação na tabela, o Palmeiras torce para que o jogo com o Internacional seja anulado e, com isso, uma nova partida entre os times aconteça. Derrotado no Beira-Rio por 2 a 1, o time reclama de uma possível interferência do delegado da partida, Gerson Antônio Baluta, no lance em que Barcos empataria o confronto, e terá sua apelação julgada nesta quinta-feira, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Depois do empate com o Botafogo, alcançado nos acréscimos, o técnico Gilson Kleina considerou que uma nova chance contra os gaúchos pode ser o necessário para fazer o Alviverde renascer na luta contra a degola. “Esse pontinho que fizemos no final (nesse domingo) já deu uma vida, imagina a volta do jogo com o Inter, podendo reverter a situação. Coloca a gente em pé de novo, mais vivos do que nunca. Agora é aguardar, e torcer para que a decisão seja a mais sensata e mais correta”, discursou.

No jogo contra o Colorado, Barcos desviou cobrança de escanteio com a mão e mandou a bola para as redes. O juiz Francisco Carlos do Nascimento validou o lance, mas foi informado pelo quarto árbitro, Jean Pierre Gonçalves, de que o gol fora marcado de forma ilegal e, por isso, teria que ser anulado.

Dentro do Verdão, porém, há a reclamação de que o delegado pediu auxílio a jornalistas que estavam próximos a ele e tiveram acesso às imagens do lance – infringindo uma das regras impostas pela Fifa. Embora o gol de Barcos tenha sido com a mão, a diretoria do clube alega que o Pirata sofreu um pênalti de Índio na jogada e, com isso, desequilibrado, desviou a bola de forma ilegal.

“Independente do julgamento do STJD, não estamos a favor de uma regularidade, só não queremos que fatores externos influam na decisão do árbitro. Queremos que a discussão na padaria, na segunda de manhã, que faz parte, seja saudável, ou então que abra para que se possa tirar todas as dúvidas com o auxílio da imagem, para ter um resultado mais justo”, disse César Sampaio, gerente de futebol do clube.

Restando quatro jogos para o final do Brasileiro, o Palmeiras tem sete pontos de diferença para o Bahia, primeiro clube fora da zona de rebaixamento, e pode confirmar sua ida à Série B já na próxima rodada. No discurso dos jogadores após o confronto com o Botafogo, há a confiança de que é possível se salvar, apesar de as chances estarem diminuindo a cada jogo.

Depois do sal grosso nas traves da Fonte Luminosa antes da vitória sobre o Cruzeiro, e da ida para Presidente Prudente (SP), onde mandará a partida contra o Fluminense, no próximo domingo, e tem bom retrospecto, a remarcação da partida com o Internacional pode ser o novo fato extra-campo necessário para animar a campanha palmeirense.

“Tudo o que vier, a gente está se agarrando. Sei que é muito delicada a situação, mas fiquei muito feliz com os atletas e a comissão técnica contra o Botafogo. Espero que a gente repita isso. Acho difícil perdermos tantos gols novamente, como fizemos hoje (domingo)”, completou o dirigente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade