Futsal/Copa do Mundo - ( )

Com envelhecimento de ícones, Brasil já pensa em renovação para 2016

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net Guarulhos (SP)

Campeão da Copa do Mundo de futsal, o Brasil já começou a falar na preparação visando à próxima edição do torneio, em 2016. Da equipe que foi para a Tailândia e conquistou o título sobre a Espanha, ícones como os alas Falcão e Vinícius (este capitão no Mundial), além do goleiro Franklin e o pivô Simi, todos já com idade avançada, devem em breve deixar o selecionado, obrigando a comissão técnica a pensar em qual será o elenco na próxima Copa.

“Temos que nos planejar. Há uma base, porque conhecemos o pessoal do sub-20, então sempre temos um talento natural, mas temos que mudar a cabeça desta meninada, porque jogar na Seleção é diferente”, analisou o treinador Marcos Sorato, que considerou Vinícius e Falcão “ícones do futsal”.

Bateria, atualmente no futsal da Espanha, e Ferrão, que atua na gelada Rússia, são dois nomes que o treinador confessou analisar. O último esteve até na pré-lista de convocados para o Mundial, mas acabou cortado pouco antes da competição. Apesar dos elogios à safra de atletas brasileiros, Sorato preferiu não falar em possíveis líderes para 2016.

“Nós temos grandes talentos, mas para ser líder tem que ganhar títulos e estar há muito tempo na Seleção”, explicou o comandante. Destaque da atual equipe, Falcão confessou já ter planos para encerrar sua carreira na equipe nacional em 2013, enquanto Vinícius, ao desembarcar no Brasil após o título, celebrou o dever cumprido em sua despedida.

Neste domingo, o time brasileiro terá seu primeiro desafio pós-título: contra a Colômbia, time o qual eliminou na semifinal. O encontro, marcado para ocorrer em São Bernardo do Campo (SP), já terá uma grande diferença em relação à equipe que foi para a Tailândia: apenas quatro jogadores que estavam na Copa do Mundo foram relacionados. Falcão estava na lista, mas o camisa 12 pediu o corte e anunciou que não deve mais atuar pelo time nacional neste ano.

AFP
Após o título deste ano na Copa, espera-se que a equipe do Brasil passe por uma reformulação até 2016


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade