Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( )

Aos 40 anos, Harlei tem 'fôlego de 25' para ficar no Goiás até 2014

Thiago Bastos Ferri, especial para a GE.Net São Caetano do Sul (SP)

Capitão do Goiás e aos 40 anos, o goleiro Harlei lidera a melhor defesa da Série B, com 36 gols sofridos em 37 jogos – mesmos números da retaguarda do Atlético-PR. Próximo do fim da temporada e com o acesso à elite garantido, o experiente camisa 1 pensava em passar a meta alviverde para um jogador mais jovem, mas a proposta de renovação da diretoria por mais dois anos o seduziu.

“Embora eu queira passar o gol do Goiás para um novo profissional pegar ritmo e maturidade para assumir de vez, tenho uma proposta da diretoria para ficar mais dois anos. Eles consideram que ainda é importante minha presença, e pelo meu amor e carinho ao clube, são 13 anos e mais de 800 jogos, a tendência é que renove por mais um pouco”, afirmou, em conversa com a reportagem da GE.net.

Campeão da Série B em 1999 pelo Esmeraldino e perto do bicampeonato na edição deste ano, Harlei já atuou em 806 jogos pela equipe e é tido como um dos maiores ídolos da história do Goiás. Desde que chegou ao clube, no ano da conquista do Nacional, o goleiro participou de dez títulos (contando a Segundona): seis estaduais e três Copas Centro Oeste.

Para chegar à 11ª taça no clube, Harlei e seus companheiros precisam apenas de um empate no sábado, diante do Joinville, no Serra Dourada. “Ficando, vou tentar colaborar da melhor forma possível, sempre pelo bem do Goiás”, acrescentou o camisa 1, que não se preocupa com a questão física, apesar da longa carreira.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Em alta no Goiás, o goleiro quarentão Harlei já se vê motivado para continuar mais dois anos na meta alviverde
No dia 9 de novembro, Rogério Ceni, titular da meta do São Paulo, anunciou que ficaria no time do Morumbi até o final de 2013. Aos 39 anos, o pentacampeão mundial confessou que, nas férias, precisará realizar uma programação especial. “Não posso parar por 30 dias, porque não tenho mais condições de voltar do zero”, dissera, à época, o jogador que perdeu seis meses da temporada se recuperando de uma cirurgia no ombro direito.

A preocupação do experiente são-paulino, contudo, não é a mesma do Esmeraldino, que se vê em boas condições de continuar por mais dois anos junto ao elenco goiano. “Sempre tive uma vida muito profissional e comedida. Ainda me sinto muito bem, útil, e tenho conseguido jogar todas as partidas durante o ano e consigo treinar todos os dias. O pessoal brinca que eu aparento a disposição de um cara de 25, 28 anos, então enquanto ainda pensarem isso é porque você está trabalhando com efetividade”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade